MENU

BC mantém em 5,8% previsão de crescimento para este ano

BC mantém em 5,8% previsão de crescimento para este ano

Atualizado: Quarta-feira, 31 Março de 2010 as 12

O Banco Central informou nesta quarta-feira, dia 31, que a sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano foi mantida em 5,8% para o ano de 2010. A informação consta no relatório de inflação do primeiro trimestre deste ano.

A projeção da autoridade monetária ainda é maior do que a expectativa oficial do governo, que consta no orçamento deste ano. A previsão do governo está em 5,2% de crescimento. Já o mercado financeiro prevê uma taxa de expansão de 5,5% para 2010.

"A retomada consistente da atividade econômica brasileira foi ratificada pelo aumento trimestral do PIB no último trimestre de 2009, o terceiro consecutivo, resultado mais relevante na medida em que refletiu, em grande parte, o crescimento expressivo assinalado nos gastos com investimentos, trajetória que deverá ser favorecida, nos próximos meses, pela melhora continuada das expectativas dos empresários", informou o BC no relatório.

Produção e investimento

Segundo a expectativa da autoridade monetária, a indústria deverá crescer 8,3% neste ano, sendo 6,1% da indústria extrativa mineral e 8,2% da indústria de transformação. Já a construção civil deverá ter um crescimento de 10,1% em 2010, enquanto o setor de agropecuária deverá registrar uma expansão de 5,3% neste ano.

Para o setor de serviços, a expectativa do Banco Central é de um crescimento de 4,7% neste ano, sendo 6,6% a taxa de expansão do comércio. Para os serviços de informação, intermediação financeira, seguros e previdência complementar, a projeção de crescimento do BC para este ano é de 7%.

O BC observou, entretanto, que a taxa de investimento da economia, que atingiu 17,1% no último trimestre de 2009, e, com isso, "segue em patamar inferior ao necessário" para sustentar taxas de crescimento do produto próximas àquelas observadas nas mais dinâmicas economias emergentes. Para este ano, a expectativa do BC é de que os investimentos subam 15,7% e que o consumo das famílias avance 6,1%.

Por: Alexandro Martello

veja também