MENU

Bolsas asiáticas fecham sem direção comum após conflitos na região

Bolsas asiáticas fecham sem direção comum após conflitos na região

Atualizado: Quarta-feira, 24 Novembro de 2010 as 11:06

As bolsas de valores da Ásia encerraram sem direção comum nesta quarta-feira (24), após o ataque da Coreia do Norte contra uma ilha sul-coreana. A tensão na península, porém, apoiou ativos considerados seguros, como o ouro e títulos do governo japonês.

O euro se recuperou em relação ao menor nível em dois meses, mas manteve-se fraco com as preocupações de que um pacote de resgate à Irlanda não será suficiente para interromper a crise de dívida de atingir outros países altamente endividados da zona do euro.

O índice MSCI que reúne bolsas de valores da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão exibia queda de 0,33% às 7h45 (horário de Brasília), a 453,44 pontos. Ganhos em Hong Kong, Xangai e Cingapura minimizaram as perdas registradas na Austrália e Coreia do Sul.

"As tensões na Coreia são positivas no curto prazo para dívida, incentivando os investidores a migrarem de ativos de risco maior", afirmou Koichi Ono, estrategista na Daiwa Securities Capital Markets.

A bolsa de Tóquio encerrou em baixa de 0,84%, recuando em relação ao maior nível em cinco meses e acompanhando mercados regionais após o feriado de terça-feira no Japão.

O mercado em Seul teve queda de 0,15%, recuperando parte de perdas iniciais maiores e com investidores estrangeiros registrando compras líquidas de ações.

"A Coreia está negociando com desconto em relação à região... Se você olhar para os últimos cinco anos quando houve aumento de tensões, eles foram vistos como oportunidades de compra', disse Todd Martin, estrategista de ações para a Ásia do Société Générale.

"A regra entre fundos de hedge e fundos longos é que você observa a venda do mercado e aguarda por um momento de entrada."

A bolsa de Xangai subiu 1,12%, Hong Kong se valorizou em 0,56% e Taiwan teve perda de 0,38%. Cingapura registrou ganho de 0,34% e Sydney teve queda de 0,1%.

veja também