MENU

Bolsas de valores registram queda em todo o mundo

Bolsas de valores registram queda em todo o mundo

Atualizado: Quarta-feira, 8 Outubro de 2008 as 12

Bolsas de valores registram queda em todo o mundo

O temor de investidores de que o pacote de combate à crise no mercado financeiro, aprovado pelo Congresso dos Estados Unidos, na última sexta-feira, dia 3 de outubro, não tenha o impacto necessário, a demora na sua aplicação e novos sinais de que a crise está se agravando na Europa derrubaram as bolsas de valores em todo o mundo ontem, dia 6 de outubro, segundo informações da BBC Brasil.

Nos Estados Unidos, pela primeira vez em quatro anos, o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, operou abaixo dos 10 mil pontos. Durante a manhã, o Dow Jones e o Nasdaq apresentaram queda superior a 5%.

Uma força-tarefa da Casa Branca comunicou que está acelerando os preparativos para intervir no mercado e o Federal Reserve (Fed), o banco central norte-americano, anunciou que vai pagar juros aos bancos pelas reservas obrigatórias que as instituições depositam no Fed.

Na Europa, a Bolsa de Paris teve a maior queda da sua história: 9,04%. Londres fechou com queda de 7,85% e Frankfurt, de 7,07%.

Na Alemanha, o governo anunciou uma ajuda de 50 bilhões de euros para o banco Hypo Real Estate, umas das financiadoras imobiliárias mais importantes do continente. O banco já havia conseguido, na semana passada, 35 bilhões de euros do governo alemão e outras instituições financeiras, mas as instituições desistiram do socorro no sábado (4).

O banco francês BNP Paribas comprou 75% das operações do grupo Fortis na Bélgica e em Luxemburgo, em troca de uma participação minoritária dos dois governos no seu capital. Já o governo da Holanda nacionalizou o braço holandês do Fortis.

Enquanto o governo alemão anunciou o compromisso de garantir os depósitos em banco no país, mesma posição tomada na Dinamarca, a Suécia aumentou substancialmente as quantias seguradas. Os governos da Irlanda e da Grécia já haviam dado essa garantia integralmente.

Em uma reunião em Paris, no sábado, os líderes das maiores economias européias - França, Reino Unido, Alemanha e Itália - prometeram se empenhar para evitar quebras de bancos. Hoje, os presidentes da Espanha, José Luis Zapatero, e da França, Nicolas Sarcozy, convocaram reuniões com os presidentes dos principais bancos dos seus países.

Na Islândia, uma dos países mais afetados pela crise, o governo suspendeu a venda de ações de seis instituições financeiras, incluindo os três maiores bancos.

Na Ásia, os mercados também não mostraram otimismo com o pacote americano. O índice Nikkei, de Tóquio, fechou com queda de 4,2%. A bolsa de Hong Kong caiu 3,4%. Na Indonésia, a bolsa fechou com baixa de 10%, maior da sua história. Já a bolsa de Moscou registrou um resultado negativo de 19,1%.

veja também