MENU

Brasileiro gasta 40 % com impostos

Brasileiro gasta 40 % com impostos

Atualizado: Sexta-feira, 9 Julho de 2010 as 9:34

O brasileiro deve destinar mais de 40% do seu rendimento bruto para pagar impostos, taxas e contribuições neste ano. Para arcar com toda a carga tributária, o contribuinte trabalha hoje o dobro do que era necessário na década de 1970, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

Além do Imposto de Renda, que é o principal tributo sobre os rendimentos, o cidadão paga impostos sobre tudo o que consome e também sobre seu patrimônio. O contribuinte arca ainda com taxas e contribuições. Segundo Fernando Steinbruch, diretor do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, os impostos que mais pesam no bolso do contribuinte são os chamados indiretos, aqueles que estão embutidos nos preços dos produtos. “Quando vamos ao supermercado, por exemplo, as mercadorias que compramos têm uma carga tributária grande”, diz ele. No sistema tributário brasileiro, afirma o diretor, apesar de nem todos precisarem pagar tributos sobre o patrimônio, todos pagam muitos impostos na hora da compra. “Nos países desenvolvidos, tributa-se mais sobre a renda e o patrimônio e menos o consumo”, diz. No Brasil, o tributo mais representativo na carga sobre o consumo é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com Steinbruch, a taxa tem relação com o grau de essencialidade do produto. “A cachaça, por exemplo, tem uma alíquota maior do que um item da cesta básica.”

Renda e patrimônio

Os impostos sobre consumo representam a maior parcela de arrecadação tributária brasileira. Levam 22% da renda bruta dos contribuintes. Os impostos sobre a renda, por sua vez, vêm logo atrás, e ficam com 14,72% do total recebido pelos cidadãos. De competência da União, a alíquota do Imposto de Renda varia de 7,5% a 27,5% e é proporcional à renda. Os tributos sobre o patrimônio consomem 3% da renda bruta do brasileiro. Um dos mais conhecidos, o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é de competência estadual e, em geral, tem alíquota entre 1% e 4% sobre o valor do veículo. Quem receber bens ou direitos como heranças deve pagar o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), outro tributo definido pelos Estados.

Em relação aos impostos municipais, os donos de imóveis pagam o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Outros exemplos são o Imposto sobre Serviços (ISS), cobrado na fatura de serviços, como escolas, estacionamentos e cabeleireiros, por exemplo, e o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). “Quando se faz uma compra e venda de imóvel, o comprador tem que pagar um imposto para a prefeitura, em média de 3% sobre o valor do bem”, diz Fernando Steinbruch.

veja também