MENU

Brasileiro gasta menos com educação e FGV muda cálculo do IPC

Brasileiro gasta menos com livros e mais com carros

Atualizado: Segunda-feira, 16 Janeiro de 2012 as 3

A Fundação Getulio Vargas (FGV) informou nesta segunda-feira (16) que irá atualizar, a partir de fevereiro, o peso dos gastos dos consumidores no cálculo da inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC). A mudança leva em conta no novo perfil do consumidor apurado pelo IBGE em sua Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008 -2009.
Segundo a instituição, o consumidor diminuiu seus gastos com educação e leitura na última década, o que levará à perda de peso do grupo Educação, Leitura e Recreação, de 8,74% para 7,37%, no cálculo dos indicadores.


Veículos
O interesse crescente do consumidor na compra de veículos automotores puxou para cima o peso do grupo Transportes no cálculo da inflação varejista, que subirá de 11,72% para 19,15% dentro dos IPCs, a partir de fevereiro.
Somente o peso de veículos automotores subirá de 0,61% para 6,7%, dentro do grupo Transportes. Para a FGV, isso é explicado pela forte expansão de crédito na última década, bem como o aumento da renda das famílias no período.


Saúde e comunicação

O grupo Saúde e Cuidados Pessoais também passa a pesar mais no cálculo do IPC. A partir de fevereiro, o peso sobe de 10,36% para 11,43%.

A partir de fevereiro, o indicador também passa a incluir o novo grupo comunicação, que responde por 5,8% do orçamento familiar.

veja também