MENU

Câmara aprova lei que reduz salário mínimo na Irlanda

Câmara aprova lei que reduz salário mínimo na Irlanda

Atualizado: Sexta-feira, 10 Dezembro de 2010 as 3:01

Os legisladores da Irlanda aprovaram o projeto de lei para reduzir o salário mínimo e cortar os salários de ministros e a aposentadoria de funcionários públicos. A aprovação do projeto - chamado Medidas Emergenciais Financeiras de Interesse Público - por cinco votos de diferença no Dail, a câmara baixa do parlamento irlandês, é o mais recente passo nos esforços do governo para aprovar o orçamento de 2011.

Foram aprovados os planos para reduzir o salário mínimo em 1 euro, para 7,65 euros por hora. Os legisladores também aprovaram um corte de 14 mil euros no salário do primeiro-ministro Brian Cowen, para 214 mil euros anuais, e um corte de 10 mil euros no pagamento dos outros membros do gabinete de governo.

Durante o debate sobre o projeto de lei, legisladores de oposição pediram que o ministro de Finanças, Brian Lenihan, implemente medidas para taxar os bônus dos bancos de forma retrospectiva. Na quinta-feira (9), Lenihan propôs cobrar impostos sobre bônus futuros em 90%, mas isso não acalmou a oposição, nervosa com a decisão do Allied Irish Banks de oferecer aos funcionários 40 milhões de euros em bônus que não eram pagos desde 2008. A decisão do banco foi tomada após um tribunal defender os funcionários.

A aprovação do projeto de lei seguiu-se à aprovação da lei de bem estar social do governo e é positiva para a votação parlamentar, no dia 15 de dezembro, sobre o pacote de ajuda oferecido ao país pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Lenihan disse aos legisladores que o país vai começar a sacar dinheiro do pacote de resgate no começo do próximo ano.

Uma votação sobre a parte final do orçamento irlandês - o projeto de lei sobre o setor financeiro - deverá ser votado no começo de 2011. Cowen vem destacando que a aprovação do orçamento vai levar a uma eleição geral, que provavelmente dará poder aos partidos de oposição Fine Gael e Trabalhista.    

veja também