MENU

Cesta básica fica mais cara em dez capitais, aponta Dieese

Cesta básica fica mais cara em dez capitais, aponta Dieese

Atualizado: Terça-feira, 6 Outubro de 2009 as 12

O custo da cesta básica ficou mais alto em dez de 17 capitas brasileiras em setembro em relação ao mês anterior, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira, 6 de outubro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os maiores aumentos de preços ocorreram em Florianópolis, que registrou variação positiva de 3,57%, seguida por Porto Alegre (3,01%) e Rio de Janeiro (2,76%). Por outro lado, as maiores baixas de custo da cesta básica aconteceram em  em Goiânia (-7,82%), Natal (- 6,22%) e Recife (- 4,23%).

A cesta básica mais cara foi cotada em Porto Alegre, avaliada em R$ 245,86, seguida por São Paulo, onde o preço da cesta correspondeu a R$ 229,89 e Vitória, com valor de R$ 226,02, segundo o Dieese.  

Entre as cidades mais baratas estão Aracaju, com a cesta cotada a R$ 164,50, Fortaleza (R$ 172,47) e João Pessoa (R$ 173,98).

Acumulado

Entre janeiro e setembro deste ano, apenas duas capitais - Belém (1,57%) e

Salvador (1,36%) - apresentaram aumento nos preços no período.

Nas outras 15 cidades pesquisadas, o custo da cesta registrou variação acumulada negativa, com destaque para Aracaju (-14,89%), Natal (-14,45%), Goiânia (-13,44%), João Pessoa (-13,25%) e Fortaleza  (-12,59%).

O custo da cesta básica ficou mais alto em dez de 17 capitas brasileiras em setembro em relação ao mês anterior, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira, 6 de outubro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os maiores aumentos de preços ocorreram em Florianópolis, que registrou variação positiva de 3,57%, seguida por Porto Alegre (3,01%) e Rio de Janeiro (2,76%). Por outro lado, as maiores baixas de custo da cesta básica aconteceram em  em Goiânia (-7,82%), Natal (- 6,22%) e Recife (- 4,23%).

A cesta básica mais cara foi cotada em Porto Alegre, avaliada em R$ 245,86, seguida por São Paulo, onde o preço da cesta correspondeu a R$ 229,89 e Vitória, com valor de R$ 226,02, segundo o Dieese.  

Entre as cidades mais baratas estão Aracaju, com a cesta cotada a R$ 164,50, Fortaleza (R$ 172,47) e João Pessoa (R$ 173,98).

Acumulado

Entre janeiro e setembro deste ano, apenas duas capitais - Belém (1,57%) e

Salvador (1,36%) - apresentaram aumento nos preços no período.

Nas outras 15 cidades pesquisadas, o custo da cesta registrou variação acumulada negativa, com destaque para Aracaju (-14,89%), Natal (-14,45%), Goiânia (-13,44%), João Pessoa (-13,25%) e Fortaleza  (-12,59%).

O custo da cesta básica ficou mais alto em dez de 17 capitas brasileiras em setembro em relação ao mês anterior, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira, 6 de outubro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os maiores aumentos de preços ocorreram em Florianópolis, que registrou variação positiva de 3,57%, seguida por Porto Alegre (3,01%) e Rio de Janeiro (2,76%). Por outro lado, as maiores baixas de custo da cesta básica aconteceram em  em Goiânia (-7,82%), Natal (- 6,22%) e Recife (- 4,23%).

A cesta básica mais cara foi cotada em Porto Alegre, avaliada em R$ 245,86, seguida por São Paulo, onde o preço da cesta correspondeu a R$ 229,89 e Vitória, com valor de R$ 226,02, segundo o Dieese.  

Entre as cidades mais baratas estão Aracaju, com a cesta cotada a R$ 164,50, Fortaleza (R$ 172,47) e João Pessoa (R$ 173,98).

Acumulado

Entre janeiro e setembro deste ano, apenas duas capitais - Belém (1,57%) e

Salvador (1,36%) - apresentaram aumento nos preços no período.

Nas outras 15 cidades pesquisadas, o custo da cesta registrou variação acumulada negativa, com destaque para Aracaju (-14,89%), Natal (-14,45%), Goiânia (-13,44%), João Pessoa (-13,25%) e Fortaleza  (-12,59%).

O custo da cesta básica ficou mais alto em dez de 17 capitas brasileiras em setembro em relação ao mês anterior, aponta levantamento divulgado nesta terça-feira, 6 de outubro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os maiores aumentos de preços ocorreram em Florianópolis, que registrou variação positiva de 3,57%, seguida por Porto Alegre (3,01%) e Rio de Janeiro (2,76%). Por outro lado, as maiores baixas de custo da cesta básica aconteceram em  em Goiânia (-7,82%), Natal (- 6,22%) e Recife (- 4,23%).

A cesta básica mais cara foi cotada em Porto Alegre, avaliada em R$ 245,86, seguida por São Paulo, onde o preço da cesta correspondeu a R$ 229,89 e Vitória, com valor de R$ 226,02, segundo o Dieese.  

Entre as cidades mais baratas estão Aracaju, com a cesta cotada a R$ 164,50, Fortaleza (R$ 172,47) e João Pessoa (R$ 173,98).

Acumulado

Entre janeiro e setembro deste ano, apenas duas capitais - Belém (1,57%) e

Salvador (1,36%) - apresentaram aumento nos preços no período.

Nas outras 15 cidades pesquisadas, o custo da cesta registrou variação acumulada negativa, com destaque para Aracaju (-14,89%), Natal (-14,45%), Goiânia (-13,44%), João Pessoa (-13,25%) e Fortaleza  (-12,59%).

veja também