MENU

Cesta básica sobe mais de 10% em 2010 em 14 capitais

Cesta básica sobe mais de 10% em 2010 em 14 capitais

Atualizado: Terça-feira, 11 Janeiro de 2011 as 11:13

A cesta básica aumentou mais de 10% em 2010 em 14 das 17 regiões pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em novembro, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira.

As maiores elevações foram observadas em Goiânia (22,90%), Recife (19,96%), Natal (18,14%), Manaus (16,73%), Fortaleza (16,21%) e São Paulo (16,20%). Aracaju (3,96%), Brasília (5,15%) e Porto Alegre (6,13%) foram as localidades com as menores variações acumuladas.

Os produtos que registraram alta mais expressiva foram carne bovina, leite, feijão e açúcar.

O comportamento dos alimentos básicos em 2010 foi oposto ao apurado em 2009 quando, no final do ano, 16 das 17 cidades acompanhadas apresentavam recuo nos preços dos gêneros de primeira necessidade.

No mês de dezembro, em oito capitais, os produtos básicos tiveram queda enquanto nas outras nove cidades o preço da cesta aumentou. Natal, com alta de 6,78% e Curitiba, onde o aumento foi de 2,05%, apresentaram as maiores variações. Já as baixas mais significativas ocorreram em Salvador (-4,24%) e Aracaju (-2,17%).

Em dezembro, São Paulo continuou a ser a capital onde o custo da cesta foi mais elevado, atingindo R$ 265,15.

O que ficou mais caro

Em 2010, quatro produtos tiveram alta expressiva em todas as 17 capitais: carne bovina, leite, feijão e açúcar.

Dez das 17 capitais pesquisadas registraram alta anual no preço do feijão superior a 50%. As variações mais significativas ocorreram em Goiânia (99,04%), Recife (97,84%), Belém (90,00%) e Natal (81,10%). Segundo o Dieese, Os dados de 2010 foram elevados devido à redução nos preços no ano anterior, quando houve uma grande safra.

Já o preço da carne bovina subiu mais de 20% em 14 localidades, com destaque para Goiânia (44,65%), Rio de Janeiro (39,00%), Fortaleza (36,94%) e São Paulo (35,32%). A menor elevação ocorreu em Aracaju (6,73%). O aumento da demanda internacional – em especial, da China – e a seca ocorrida em meados do ano que prejudicou as pastagens foram os principais fatores para a alta.

A seca prolongada também justificou a alta verificada no leite, em 2010, que chegou a 25,11%, em Florianópolis; 25,10%, em Goiânia; 22,83%, em Salvador e 20,93%, em Curitiba.

veja também