MENU

China aumenta compulsório e afeta negócios nas bolsas asiáticas

China aumenta compulsório e afeta negócios nas bolsas asiáticas

Atualizado: Segunda-feira, 18 Abril de 2011 as 10:34

A maior parte das bolsas asiáticas iniciou a semana em baixa, reagindo à notícia de que o banco central da China elevou mais uma vez a reserva obrigatória para os bancos, a fim de reduzir a concessão de empréstimos no país e, assim, diminuir a inflação.

Em Hong Kong , o índice Hang Seng caiu 0,74%, para 23.830,30 pontos, enquanto em Xangai, o mercado seguiu em sentido contrário e avançou 0,22%, para 3.057,33 pontos.

Na bolsa de Tóquio, o fortalecimento do iene e a cautela antes da divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2011 das empresas levaram o índice Nikkei 225 à queda de 0,36%, aos 9.556,65 pontos. As ações da Canon recuaram 1,36%, acompanhadas dos papéis da Nissan (-1,11%). Já as ações da Tokyo Electric Power (Tepco) tiveram mais 0,43% de desvalorização depois que a companhia, responsável pela usina atômica de Fukushima, informou que o tempo para estancar os vazamentos de radiação e estabilizar a central atômica pode variar de seis a nove meses.

Em Seul, o índice Kospi cedeu 0,13%, para 2.137,72 pontos e, em Taipé, o Taiwan Taiex baixou 0,04%, para 8.714,48 pontos. As ações da Foxconn Technology, companhia que fornece produtos para a Apple, entretanto, saltaram 6,72% com a expectativa de ganho trimestral acima do projetado pelos analistas.

O S&P/ASX 200, da bolsa de Sydney, também avançou, subindo 0,20%, para 4.861,90 pontos, apesar da queda nas ações das mineradoras. Os papéis da Rio Tinto perderam 0,18% e os da BHP Billiton, 0,08%.      

veja também