MENU

Cidades dos EUA e da Europa estão perto da falência

Cidades dos EUA e da Europa estão perto da falência

Atualizado: Segunda-feira, 27 Dezembro de 2010 as 9:53

Europeus e americanos enfrentarão um desafio em 2011: solucionar a dívida de mais de US$ 3,7 trilhões de suas cidades. Nos Estados Unidos, mais de cem delas estão à beira da falência. Na Europa, o problema também atinge várias cidades: Barcelona, Madri, Liverpool e Veneza lutarão durante o novo ano para não quebrar diante da falta de crédito do governo e da recusa de bancos em financiar a dívida sem precedentes.

Desde 1937, 619 cidades americanas declararam falência. Para 2011, a estimativa da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de que apenas a dívida das cidades dos Estados Unidos chegue a US$ 2 trilhões e que mais de uma centena esteja perto da insolvência. Para não ver o desemprego atingir números que poderiam criar uma desestabilização social, muitos municípios optaram por financiar a manutenção de várias atividades econômicas. Mas deixaram de receber o apoio dos governos estaduais e do governo federal e ainda se depararam com uma queda importante na arrecadação.

Do outro lado do Atlântico, a crise é tão grave quanto nos Estados Unidos. Para 2011, as cidades europeias acumulam um déficit de US$ 1,7 trilhão. Só a capital espanhola terá de encontrar créditos de 7 bilhões para pagar suas contas. O governo espanhol terá de deixar claro que não autorizará um novo crédito público a Madri enquanto não enxergar um compromisso da cidade em reduzir seus gastos. Hoje, a capital espanhola acumula dívida pública equivalente a 105% de sua arrecadação.

No Reino Unido, Liverpool já anunciou que promoverá cortes em gastos que poderão custar 16 mil empregos. Em Veneza, na Itália, a dívida já é equivalente a tudo o que a cidade arrecada no ano. Berlim, na Alemanha, já acumula uma dívida quatro vezes superior ao que arrecada por ano. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

veja também