MENU

Começa a faltar gasolina no interior de São Paulo

Começa a faltar gasolina no interior de São Paulo

Atualizado: Quinta-feira, 7 Abril de 2011 as 9:44

Começa a faltar gasolina nos postos de combustíveis do interior de São Paulo. Na região Noroeste, postos de São José do Rio Preto, Araçatuba, Andradina e Valparaíso ficaram sem o combustível por algumas horas nos últimos dias. O desabastecimento ocorre nos postos sem bandeira, cujos donos deixaram para fazer a reposição do estoque em cima da hora. O problema é que a reposição, que era feita no mesmo dia, está demorando de 24 a 48 horas.

Otávio Uchyiama, dono de dois postos (em Andradina e Valparaíso), disse que o revendedor precisa pedir a gasolina com dois dias de antecedência, por que "quem deixa para pedir no mesmo dia está ficando sem nada na bomba". O posto dele em Andradina ficou sem gasolina na segunda-feira (4).  Já o posto de Valparaíso ficou sem combustível na quarta-feira, porque a distribuidora alegou que a Petrobras estava sem a gasolina.

- Ficamos o período da tarde sem o combustível porque a Petrobras não tinha álcool anidro para fazer a mistura e entregar a gasolina a tempo.

Uchyiama, que também é diretor regional do Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejistas de Derivados de Petróleo), disse que metade dos 220 postos das 42 cidades da região de Araçatuba é de bandeira branca e quase todos estão enfrentando demora na entrega de gasolina. O desabastecimento ocorre, segundo ele, por conta da migração dos veículos flex do etanol para a gasolina - a grande demanda pegou a Petrobras de surpresa.

De acordo com o Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo), desde o início da migração, há cerca de 15 dias, o preço da gasolina subiu R$ 0,30 (ou 15%) para os donos de postos.

Segundo Uchyiama, os proprietários pagam hoje em torno de R$ 2,50 ou mais o litro para as distribuidoras, enquanto o preço correto deveria ser R$ 0,15 a menos.

Segundo ele, os postos sem bandeira pagam de R$ 0,06 a R$ 0,07 a menos pelo litro. Para Uchyiama, a estabilidade de preços e de abastecimento só voltará no fim de abril, com o início da safra da cana de 2011/2012. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

veja também