MENU

Comércio e indústria empregam 16,7 milhões no Brasil

Comércio e indústria empregam 16,7 milhões no Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 29 Junho de 2011 as 10:16

O comércio e a indústria brasileira possuíam 16,7 milhões de empregados em 2009, segundo pesquisa divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (29).

De acordo com a PAC (Pesquisa Anual do Comércio), naquele ano, havia no Brasil 1,47 milhão de estabelecimentos comerciais em funcionamento, que geraram, segundo o IBGE, R$ 1,6 trilhão em receitas líquidas – ou seja, tudo o que as empresas lucraram já descontados os impostos e contribuições, vendas canceladas e descontos.

Sozinho, o comércio empregou 8,8 milhões de funcionários em 2009. Juntos, eles receberam R$ 95,1 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações ao longo daquele ano.

A PAC descreve as características estruturais do comércio em três grandes grupos - comércio varejista, comércio por atacado e comércio de veículos automotores, peças e motocicletas. O levantamento abrange os níveis Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação.

Indústria

Assim como o comércio, a indústria empregou muita gente em 2009. Pelo menos 7,9 milhões de pessoas estavam encaixadas no setor naquele ano. Os dados fazem parte da PIA (Pesquisa Industrial Anual), também publicada pelo IBGE nesta quarta-feira.

Segundo o IBGE, existiam no país 299 mil indústrias em funcionamento em 2009. Juntas, as receitas elas faturaram R$ 2,3 trilhões, valor inferior ao observado em 2008, quando o setor lucrou R$ 2,4 trilhões.

Ao considerar o lucro líquido de vendas, ou seja, tudo o que as empresas ganharam já descontados os tributos e outros tipos de abatimentos, também houve redução. Em 2009, o setor ganhou R$ 1,67 trilhão - contra R$ 1,76 trilhão em 2008.

Naquele ano, a indústria gastou com pessoal R$ 240,4 bilhões e teve custos diretos da produção de R$ 125,7 bilhões. O setor também investiu R$ 132,6 bilhões em 2009 – dinheiro que foi para a compra de máquinas, equipamentos, terrenos, ampliação de fábricas etc.

No ranking dos dez produtos da indústria que apresentaram maior valor de vendas, o óleo diesel manteve a liderança na participação, com R$ 48,7 bilhões - 3,6% do total. Na segunda posição ficaram veículos em geral com motor acima de 1.500 cilindradas e, na terceira, dos automóveis de até 1.000 cilindradas – faixa em que se encaixam os carros populares.

Vale destacar a evolução das vendas de chope e cerveja, que saltaram da 13ª posição do ranking para a 8ª. Foram produzidos 12,7 bilhões de litros dos dois produtos em 2009 e São Paulo é o que mais compra. O Estado consumiu nada menos que 4,1 bilhões das bebidas em 2009.

veja também