MENU

Commodities conduziram a desaceleração do IGP-DI de abril

Commodities conduziram a desaceleração do IGP-DI de abril

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 4:36

RIO - As commodities agrícolas contribuíram fortemente para a inflação menos intensa observada em abril pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os preços das matérias-primas agropecuárias no atacado caíram 1,37% em abril, a primeira queda neste segmento desde janeiro de 2010 (-0,15%) e a mais intensa desde julho de 2009 (-2,31%). Este setor conduziu a desaceleração de preços medida pelo IGP-DI, cuja taxa passou de  0,61% para 0,50% de março para abril, segundo o coordenador de Análises Econômicas da FGV, Salomão Quadros.

Para o especialista,  o indicador pode estar refletindo uma mudança de cenário na trajetória de preços das commodities agrícolas. Ele lembrou que, no ano passado, estes produtos impulsionaram o avanço da inflação, elevando preços de itens agrícolas no atacado e de alimentos no varejo. Mas, agora, o cenário é diferente. "É possível que os preços das commodities agrícolas estejam chegando em um nível de estabilização. Apesar da demanda forte, a oferta tem reagido positivamente à trajetória crescente desta demanda", explicou o coordenador.

Ele observou ainda que, de uma maneira geral, os preços das commodities agrícolas continuam em alta, o que estimula os produtores a atenderem de forma ágil a procura por este tipo de produto. "Isso é uma especulação de minha parte. Porém acho que o cenário, hoje, não sugere uma trajetória muito agressiva nos preços das commodities agrícolas nos próximos meses, como aquela que tivemos no ano passado", afirmou.

Para Salomão Quadros, a continuidade deste movimento de preços menos elevados nas commodities agrícolas pode ajudar a reduzir a magnitude das taxas de elevação de preços dos indicadores inflacionários nos próximos meses. "Não estou dizendo que não teremos uma alta de preços forte nas commodities, como tivemos no ano passado; o que estou dizendo é que não é provável, pelo menos com os sinais que temos, até o momento", afirmou.  

veja também