MENU

Compras do BC no mercado à vista de câmbio atingem US$ 40 bilhões

Compras do BC no mercado à vista de câmbio atingem US$ 40 bilhões

Atualizado: Terça-feira, 21 Dezembro de 2010 as 3:58

As compras de dólares efetuadas pelo Banco Central no mercado à vista superaram a barreira dos US$ 40 bilhões neste ano, na parcial até a última sexta-feira (17), segundo números divulgados pelo chefe do Departamento Econômico da autoridade monetária, Altamir Lopes.

Com isso, as aquisições de divisas são as maiores desde 2007, quando a instituição adquiriu US$ 78,5 bilhões no mercado de câmbio, e são, também, as segundas mais elevadas desde 2004 - quando a autoridade monetária começou a comprar dólares no mercado à vista.

Em 2004, o BC adquiriu US$ 5,2 bilhões e, em 2005, outros US$ 21,5 bilhões. No ano de 2006, as compras somaram US$ 37,2 bilhões e, em 2007, bateram recorde ao totalizar US$ 78,5 bilhões. Em 2008, o BC adquiriu US$ 7,5 bilhões e, no ano passado, comprou mais US$ 24 bilhões.

Ingresso de recursos no Brasil

As compras de dólares pela autoridade monetária estão relacionadas com o volume de ingresso de recursos no país. Neste ano, até a última sexta-feira (17), US$ 25 bilhões ingressaram na economia brasileira. Os dados mostram, portanto, que o Banco Central está comprando divisas acima do volume de entrada de dólares no país. Um fator que atraiu dólares para a economia neste ano, em setembro e outubro, foi o processo de capitalização da Petrobras, que trouxe um grande volume de aplicações estrangeiras para o Brasil.

Impacto nas reservas internacionais

As compras de dólares efetuadas pela autoridade monetária vão para as reservas internacionais brasileiras, que somaram US$ 286 bilhões na última sexta-feira (17). Isso representa um crescimento de mais de US$ 20 bilhões frente ao patamar de meados de setembro, e um aumento de US$ 47 bilhões frente ao fechamento de 2009 (US$ 238,98 bilhões).

Além das compras do BC, as reservas também crescem por conta de emissões de títulos da dívida pública, que são comprados pelos investidores e cujo pagamento é depositado nas reservas, ou devido à remuneração das aplicações que são feitas com estes recursos - a maior parte em títulos do Tesouro dos Estados Unidos.

A vantagem de ter dólares em caixa é que isso dá garantias contra eventuais crises no mercado internacional, como a da Rússia, em 1998, e a crise financeira que atingiu a economia internacional no ano passado, momento no qual o BC usou recursos das reservas cambiais para oferecer empréstimos ao setor produtivo após o fechamento de linhas externas de crédito.

Economistas, no entanto, chamam a atenção para a compra de dólares. Isso por que, cada vez que o governo compra divisas, paga em real e, com isso, aumenta a dívida interna. Ao mesmo tempo, também tem de pagar mais juros, uma vez que as taxas oferecidas no mercado interno são mais altas do que no exterior. É o chamado "custo de carregamento" das reservas.    

veja também