MENU

Construção civil registra ritmo acelerado, diz CNI

Construção civil registra ritmo acelerado, diz CNI

Atualizado: Sexta-feira, 30 Abril de 2010 as 9:27

O nível de atividade na construção civil continuou em ritmo forte no mês de março, de acordo com a Sondagem da Construção Civil elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

O indicador ficou em 55,8 pontos, o que significa um aumento de 2,6 pontos em relação a fevereiro, quando foi de 53,2 pontos. Números acima de 50 pontos indicam aumento de atividade.

O crescimento se deu em empresas de todos os portes, mas se destaca entre as grandes, que ficaram com média de 58 pontos.

Ao mesmo tempo, o indicador do nível de atividade efetivo em relação ao usual passou de 55,6 em fevereiro para 55 pontos no mês passado, mantendo-se acima da linha divisória dos 50 pontos. Segundo a CNI, os empresários continuam satisfeitos com a situação financeira de sua empresa. Os indicadores de margem de lucro operacional e situação financeira atingiram 52 e 55,5 pontos, respectivamente. Valores acima de 50 pontos indicam situação mais que satisfatória.

Segundo a pesquisa, o nível de atividade deve crescer fortemente nos próximos seis meses. O indicador que apura essa percepção ficou em 66 pontos.

O setor também contratou mais. No primeiro trimestre, a evolução do nível de empregados foi de 56,4 pontos. O indicador de evolução do emprego é calculado de três em três meses. No trimestre, o indicador nas grandes empresas ficou em 62,5 pontos. Os empresários também acreditam que continuarão contratando nos próximos seis meses. E em ritmo elevado.

A criação de novos empreendimentos e serviços também deverá ser forte nos próximos dois trimestres. De acordo com a sondagem, esse indicador ficou em 67,7 pontos. A maior atividade e o maior número de lançamentos também levará a mais compras de insumos. Esse indicador ficou em 66,1 pontos.

Já o acesso ao crédito foi considerado normal pelos empresários que buscaram crédito, mas mostrou deterioração nas condições, com indicador recuando de 54,6 pontos em fevereiro para 50,6 pontos.

O levantamento foi realizado pela CNI entre os dias 5 e 13 deste mês, com 294 empresas, das quais 28 de grande porte, 108 de médio porte e 158 de pequeno porte. A sondagem varia de zero a 100 pontos, sendo que valores maiores que 50 indicam crescimento.

veja também