MENU

Consumo das famílias puxou economia no início do quarto trimestre

Consumo das famílias puxou economia no início do quarto trimestre

Atualizado: Quinta-feira, 23 Dezembro de 2010 as 10:21

O Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica (PIB Mensal) avançou 0,1% em outubro/10 frente ao mês imediatamente anterior, já descontadas as influências sazonais.

Com este resultado, o crescimento da atividade econômica passou de 0,5% no trimestre encerrado em setembro para 0,6% no trimestre findo em outubro, demonstrando que o ritmo de expansão da economia brasileira iniciou o último trimestre de 2010 em aceleração.

Pelo prisma da demanda agregada, o resultado positivo do mês de outubro foi determinado, em primeiro lugar, pelo crescimento de 0,9% no consumo das famílias e, como coadjuvante, pela alta de 0,4% no consumo do governo.

A queda de 3,8% das importações de bens e serviços também contribuiu positivamente para o resultado do mês. Pela ótica da oferta agregada, o crescimento de 0,1% do setor de serviços foi o responsável pelo crescimento positivo da atividade econômica em outubro.

As condições de crédito e de consumo ainda favoráveis, o avanço da massa real de rendimentos e os gastos públicos mais elevados propiciaram uma reaceleração da atividade econômica no início do quarto trimestre deste ano. Segundo os economistas da Serasa Experian, esse cenário deverá prevalecer ao longo dos meses subseqüentes, tendo em vista as boas perspectivas das vendas de final de ano.

Na comparação com o mês de outubro de 2009, o crescimento econômico brasileiro atingiu 4,3% fazendo com que, no acumulado anual de 2010 (janeiro a outubro), a expansão da atividade econômica registrasse 7,9% (em relação período de janeiro a outubro de 2009).

Nos doze meses encerrados em outubro de 2010, o crescimento econômico atingiu 7,7%, determinado, em maior escala, pelo crescimento de 10,9% da atividade industrial neste mesmo critério de comparação.

Estes resultados sinalizam que a economia brasileira deverá encerrar o ano de 2010 com um crescimento real ao redor de 7,5% em relação ao ano de 2009.

veja também