MENU

Consumo per capita de café no país bate recorde em 2010

Consumo per capita de café no país bate recorde em 2010

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 3:55

O consumo per capita de café torrado no Brasil alcançou marca histórica de 4,81 kg em 2010, superando o melhor resultado anterior de 4,72 kg, registrado em 1965, há 45 anos. A avaliação é da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), no estudo "Indicadores da Indústria de Café no Brasil/2010 - Desempenho da Produção e Consumo Interno", divulgado nesta quarta-feira (26) pela Área de Pesquisas da entidade e que analisa dados do setor no período compreendido entre novembro de 2009 e outubro de 2010.

Em comunicado, a Abic informa que o consumo per capita de 4,81 kg equivale a quase 81 litros de café por pessoa por ano. O desempenho de 2010 é 3,5% maior do que o registrado no ano anterior, que foi de 4,65 kg. Com isso, comenta a Abic, o consumo brasileiro se aproxima ao da Alemanha, que é de 5,86 kg por habitante/ano e já supera os índices da Itália e França, que são grandes consumidores de café. Os campeões de consumo, entretanto, ainda são os países nórdicos - Finlândia, Noruega, Dinamarca - com um volume próximo dos 13 kg por pessoa/ano.

A pesquisa revela, ainda, que o consumo interno ampliou em 740 mil sacas no período analisado, totalizando 19,13 milhões de sacas de 60 kg, o que representa um crescimento de 4,03% em relação ao período anterior, que havia sido de 18,39 milhões de sacas. De acordo com a Abic, essa taxa é mais do que o dobro do aumento médio do consumo mundial de café.

Todas as categorias de produtos apresentaram taxas de crescimento positivas, desde o tipo "tradicional", predominante no consumo doméstico, até os tipos "superiores" e "gourmet", que prevalecem no consumo fora do lar. De acordo com Nathan Herszkowicz, diretor executivo da Abic, o segmento de cafés finos e diferenciados, embora represente a menor parte do consumo, continua apresentando taxas de crescimento de 15% a 20% ao ano.

Segundo ele, impulsionado principalmente pelas cafeterias e casas de café, o segmento gourmet correspondeu a algo em torno de 4% do mercado em 2010, ou 800 mil sacas, com uma participação entre 6% a 7% na receita, o que significa R$ 380 milhões.    

veja também