MENU

Conta de luz pode subir até 3% com acordo de Itaipu

Conta de luz pode subir até 3% com acordo de Itaipu

Atualizado: Quarta-feira, 22 Julho de 2009 as 12

As concessões do Brasil ao Paraguai podem significar um reajuste de 2% a 3% nas contas de energia elétrica dos consumidores brasileiros atendidos pela usina de Itaipu, conforme cálculos de técnicos do grupo Eletrobrás. Segundo analistas privados, em uma conta preliminar, representa um aumento total de R$ 1,4 bilhão a R$ 2,1 bilhões. As estimativas consideram os principais pontos que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve discutir com o colega Fernando Lugo, na sexta-feira, 24 de julho, em Assunção: o reajuste do valor pago ao Paraguai pela cessão da energia ao Brasil, e a venda direta da parcela paraguaia da energia "adicional" no mercado livre brasileiro.

O assessor de assuntos internacionais do Planalto, Marco Aurélio Garcia, confirmou ontem, 21 de julho, que Lula discutirá com Lugo proposta que permite ao país vizinho vender sua cota de energia de Itaipu no mercado livre brasileiro, sem a exclusividade da Eletrobrás. Ele negou que a proposta resulte em aumento da tarifa de energia no Brasil, ao contrário do que temem setores do próprio governo. "O consumidor sempre tem de estar satisfeito e tranquilo, até porque, diferentemente de outros momentos, temos política energética de longo prazo", afirmou. Garcia salientou que o governo brasileiro está "sensível" às demandas "políticas" do Paraguai, mas não vai "rasgar" ou "jogar dinheiro fora".

No fim de maio, em reunião com empresários na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o diretor-geral brasileiro da usina, Jorge Samek, afirmou que "não existe almoço de graça em Itaipu". Ele explicou que a tarifa é calculada dividindo as despesas (dívida, manutenção e royalties) pela produção. Se parte da produção é liberada ao Paraguai, por menor que seja, a tarifa sobe. Procurado pela reportagem, Samek não quis comentar o assunto.

Para analistas do setor privado, um reajuste de 3% é significativo quando comparado a meta de 4,5% para a inflação. Já os técnicos do governo avaliam que o porcentual é pequeno em relação ao mercado. Por conta do impacto da energia mais cara das termelétricas e do câmbio, o reajuste médio da Eletropaulo chegou a 12,96% este ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

veja também