MENU

Crescimento vai trazer brasileiros de volta ao País, diz Lula

Crescimento vai trazer brasileiros de volta ao País, diz Lula

Atualizado: Sexta-feira, 3 Dezembro de 2010 as 4

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou esta manhã, no Rio, que, com o crescimento da economia nacional, o Brasil vai atrair emigrantes que vivem no exterior de volta ao País e que só vai ficar no exterior “quem quiser”. A afirmação foi feita durante o fórum “Brasileiros no Mundo”, promovido no Palácio do Itamaraty, no Rio. Cerca de 3 milhões de brasileiros moram hoje fora do País.

A uma platéia de brasileiros expatriados, Lula insistiu que não faltarão oportunidades. “Nós podemos dizer hoje, com muito orgulho, que o Brasil oferece mais oportunidades que alguns países ricos, de primeiro mundo. E certamente haverá espaço para os brasileiros voltarem, inclusive no mundo da pesquisa e ciência", disse Lula.

"Tem muita gente voltando para o Brasil. E este será um caminho que não tem mais retorno. Ficarão lá fora as pessoas que constituíram família, ou que têm alguma coisa muito vantajosa. Mas se a economia brasileira continuar crescendo, não faltará lugar para que os milhões de brasileiros fora comecem a regressar para o País e prestem o seu trabalho de forma muito mais prazerosa”, disse.

“Eu sonho que não está longe o dia em que só estará no exterior o brasileiro que quiser, ou porque foi trabalhar, porque foi convencido pelo salário, estudar, ou ser jogador de bola, qualquer coisa, mas ele não estará fugindo daquele tempo tenebroso em que passamos 20 anos sem gerar emprego em lugar nenhum”, afirmou Lula.

O presidente lembrou ter encontrado em Pernambuco, no ano passado, um trabalhador que voltara do Japão, onde atuara como metalúrgico. “Pude sentir o orgulho dele de poder vir para o Brasil trabalhar, diferentemente do momento que tinha tido de sair para o Japão”, contou.

Para emigrantes que participavam do evento, e que tiraram fotos com o presidente após o evento, Lula disse que um dia voltariam ao País. “Vocês, brasileiros que moram no exterior e haverão de um dia regressar, de livre e espontânea vontade e não por necessidade – mas por que já cumpriram o que os levou para fora – mas porque a perspectiva aqui dentro será muito melhor.”

O presidente disse que a situação econômica do Brasil é ”altamente privilegiada, comparada a muitos outros países do mundo”. “Não imaginei viver até o dia em que pudesse dizer isso nem imaginei dizer isso no final de meu mandato na Presidência da República. Jamais imaginei. Porque todas as vezes que concorri às eleições, o País estava quebrado. Estava tão quebrado que muitas vezes eu me perguntava se valia a pena ser candidato a presidente”, afirmou.

veja também