MENU

Crianças aprendem a lidar com dinheiro

Crianças aprendem a lidar com dinheiro

Atualizado: Terça-feira, 2 Dezembro de 2008 as 12

Crianças aprendem a lidar com dinheiro

Crise mundial desperta pais e escolas para ensinar economia

Os problemas que o sistema financeiro mundial atravessa têm chamado a atenção para a importância da educação financeira. O governo do Reino Unido, por exemplo, resolveu transformar o assunto em matéria obrigatória nas escolas públicas. Mas o ensino de educação financeira não é novidade. Em países como Austrália, Canadá, Estados Unidos, México e Polônia já existem cursos especializados voltados ao público infantil.

No Brasil, as iniciativas também já começaram a surgir. A educadora Sílvia Alambert representa, desde o ano passado, a franquia “The Money Camp”, que oferece cursos sobre finanças para todas as faixas etárias e que também treina as escolas para implantarem seus próprios programas. Ela defende que os pais falem abertamente sobre dinheiro com os filhos.

"Para que a criança possa entender como o dinheiro circula, o ter ou o não ter, é preciso que haja diálogo. Os pais devem explicar como funciona, por exemplo, um cartão de crédito, um cartão de débito. Além disso, a mesada também é um instrumento importante para que as crianças comecem a administrar seus próprios recursos. Aí ela passa a entender o que acontece quando ela não economiza e não poupa", explica.

De acordo com Sílvia, aos cinco anos de idade as crianças já podem aprender sobre dinheiro, em casa ou na escola. Se os pais optarem por dar mesada, o valor deve ser acertado de acordo com a realidade da família. Ela acredita que se pode aproveitar momentos como esse, de crise financeira mundial, para ensinar lições aos filhos, especialmente sobre a importância de se planejar e de viver dentro do orçamento doméstico.

A escola de Gabriela Paiva, 8 anos, na capital paulista colocou a educação financeira na grade curricular há dois anos. A menina tem aulas desde os 6 anos de idade e já aprendeu a poupar. Durante 10 meses ela juntou dinheiro para comprar seu primeiro celular. As lições que teve em sala de aula mudaram sua forma de pensar.

"A gente aprende como gastar o dinheiro com inteligência, sem gastar tudo de uma vez. Antes eu queria tudo na hora, eu não sabia esperar. Mas agora eu sei esperar quando eu quero muito uma coisa e eu ajudo minha mãe a comprar, eu dou meu dinheiro, eu economizo", conta Gabriela.

A mãe da menina, a funcionária pública, Patrícia Paiva, aprova as aulas de educação financeira. "Eu acho importante a criança saber o real valor do dinheiro. Saber que tudo que ela tem casa tem um custo. Que a luz, a água e a comida não chegam de graça", diz.

veja também