MENU

Demanda da Gol cresce 12,7% em maio sobre um ano antes

Demanda da Gol cresce 12,7% em maio sobre um ano antes

Atualizado: Segunda-feira, 13 Junho de 2011 as 11:09

A Gol registrou uma demanda total 12,7 por cento maior por viagens em maio na comparação anual, mas os preços de passagens da empresa no país recuaram quase que na mesma proporção, informou a companhia aérea nesta segunda-feira.

No mercado doméstico, a demanda subiu 12,3 por cento na comparação anual, enquanto no internacional houve alta de 16,7 por cento.

Enquanto isso, a taxa de ocupação total dos aviões da companhia cresceu 5 pontos percentuais em maio sobre o mesmo mês de 2010, para 62,9 por cento. O maior ganho na ocupação se deu nos voos internacionais, 9,9 pontos percentuais, enquanto os voos nacionais apresentaram taxa 4,4 pontos maior.

O aumento na utilização dos aviões pelos passageiros da empresa compensou em parte uma queda de 12 por cento em maio no yield médio, indicador de preços de passagens aéreas, no comparativo anual.

'Embora o yield de maio ainda tenha ficado próximo aos 19 centavos de real, a partir da segunda quinzena do mês, o mercado proporcionou a oportunidade para um processo de recuperação deste indicador', afirma a companhia em comunicado ao mercado.

Na comparação com abril, porém, a demanda total da companhia apresentou uma queda de 7,9 por cento, composta por recuo de 8,1 por cento nos voos domésticos e baixa de 5,8 por cento nos voos internacionais.

'Em relação ao mês de abril, houve queda de 8,1 por cento devido à ocorrência dos feriados nacionais de Tiradentes e à celebração de Páscoa naquele mês, cenário que provocou o estímulo do tráfego de passageiros voando a lazer dentro do território nacional', afirmou a Gol em comunicado ao mercado.

Nesta segunda-feira, a Gol cancelou voos para Buenos Aires e Rosário, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai, em meio ao cenário de nuvens de cinzas emitidas pelo vulcão chileno Puyehue. O vulcão entrou em erupção há uma semana e, desde então, também tem afetado operações da rival TAM na América do Sul. Na sexta-feira, as empresas tiveram de cancelar voos em cidades de Santa Catarina, Rio de Grande do Sul, Uruguai e Argentina.          

veja também