MENU

Dilma diz que quer transformar crise em 'salto' de desenvolvimento

Dilma diz que quer transformar crise em 'salto' de desenvolvimento

Atualizado: Terça-feira, 30 Agosto de 2011 as 2:32

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (30), durante solenidade em Cupira (PE), que tem condições de transformar a crise econômica internacional em um “salto” de desenvolvimento para o Brasil. Segundo Dilma, turbulências financeiras devem ser enfrentadas com “coragem” e não com "covardia”.

“Temos a convicção que crise a gente não enfrenta se apequenando, se atemorizando, sendo covarde. Crise a gente enfrenta com coragem. Coragem significa tendo consciência da nossa força, tendo a convicção de que essa é uma crise que nós temos todas as condições de transformar em outro momento de salto. Vamos criar todas as condições para crescermos mais”, disse a presidente.

Presidente Dilma cumprimenta população de Cupira, em Pernambuco,

onde assinou, nesta terça-feira (30), ordens de serviços de obras de barragens

 (Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência)

  Dilma discursou em cerimônia de assinatura de ordem de serviço para a construção de barragens e casas do programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida". 

A presidente assegurou que não faltará crédito para as empresas brasileiras e afirmou que as reservas internacionais do país já somam US$ 350 bilhões. "Antes tínhamos apenas US$ 220 bilhões. Hoje temos crédito suficiente para, se houver qualquer problema internacional, a gente garantir recursos para as nossas empresas e não deixar faltar recursos para o país crescer."

Segundo a presidente, a crise deve ser enfrentada com mais emprego e estímulo ao consumo interno.

“Enfrentar não significa ficar de braços cruzados, enfrentar é trabalhar. É isso que faremos diante de qualquer crise. Enfrentar significa fazer com que Brasil cresça, fazer com que o Brasil gere mais emprego, consuma mais, que aproveite cada oportunidade que aparecer, para continuar abrindo empresa, continuar plantando”, disse.

Mais cedo, em entrevista a rádios locais de Pernambuco, Dilma já comentara que aprovar projetos que aumentem os gastos públicos sem indicar a origem dos recursos é um "presente de grego".

Dilma afirmou que os três maiores desafios do governo são melhorar os serviços de saúde, educação e segurança. "Se fomos capazes de gerar ciclo virtuoso de renda e emprego, temos de ser capazes de melhorar o nosso serviço público. Vou dar o melhor de mim, vou dar minha determinação", disse.

Barragens

A presidente também dedicou parte do discurso em dar garantias de que o atual governo vai se empenhar na prevenção de desastres naturais. Segundo ela, serão oferecidos os recursos necessários para a construção de barragens e outras obras que evitem inundações e deslizamentos.

“Quero falar para vocês que essa é uma preocupação permanente do meu governo. Vamos iniciar esse programa sistemático de olhar para as regiões onde há inundações e deslizamentos de morros e oferecer os recursos necessários através do Programa de Aceleração do Crescimento”, disse.

Em junho de 2010, as fortes chuvas que atingiram Pernambuco provocaram mortes e deixaram centenas de pessoas desabrigadas.

Dilma participa, ainda nesta terça-feira, de compromissos em Garanhuns e Recife e retornará a Brasília no fim do dia.            

veja também