MENU

Diretor de BC diz que guerra contra inflação ainda não acabou

Diretor de BC diz que guerra contra inflação ainda não acabou

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 4:17

O diretor de política monetária do Banco Central, Aldo Mendes, afirmou nesta terça-feira que a redução da inflação em maio e junho deve-se a fatores sazonais e alertou que a "guerra para trazer a inflação para a meta não terminou".

Para ele, o controle da inflação e do fluxo de dinheiro para o Brasil são os principais desafios do BC. A entrada de recursos em excesso expande o crédito a alimenta mais a demanda e o aumento de preços, observou.

O diretor do BC disse ainda que os empresários não devem conceder aumentos salariais olhando a inflação passada, pois o aumento de preços vai perder força no próximo ano.

Segundo Mendes, as empresas sabem que o BC está trabalhando para trazer a inflação para o centro da meta em 2012. A meta oficial é de 4,5% ao ano, com margem de tolerância que vai de 2,5% a 6,5%. Hoje, a inflação acumulada em 12 meses está em 6,55%.

Além disso, o diretor também destacou que o governo está cortando gastos e que a recuperação da economia global caminha a passos lentos.

"A soma de todos esses fatores leva a crer que temos grandes chances de trazer a inflação de fato para a meta em 2012, e aquela empresa que hoje considerar a inflação passada e não a inflação futura na hora de dar o aumento poderá estar fazendo um mal negócio, poderá estar colocando um elemento de custos na sua planilha que depois lá na frente fica difícil descontar", disse em evento em São Paulo organizado pelo grupo japonês Nomura.

Apesar do alerta do diretor, economistas tem apontado que a falta de mão de obra qualificada ajuda os trabalhadores a pressionarem por aumentos acima da inflação. O próprio Mendes reconhece que as negociações neste segundo semestre serão duras.

veja também