MENU

Economia aquecida abre espaço para aumento de salário

Economia aquecida abre espaço para aumento de salário

Atualizado: Quinta-feira, 6 Janeiro de 2011 as 10:02

O ano de 2010 foi especial para a economia brasileira. Embora os dados ainda não estejam fechados, a estimativa dos economistas é de que o Produto Interno Bruto (PIB, soma de todas as riquezas produzidas por um país) tenha crescido 7,6% no ano que passou. A geração de empregos foi recorde, com cerca de 2,5 milhões de novos postos de trabalho. Para 2011, o País deve crescer menos, algo em torno de 5% – mas vai continuar crescendo. Neste cenário, é bem provável que o seu salário também aumente neste ano recém-começado.

“Existe um bom potencial de crescimento dos salários para 2011”, afirma Alcides Leite, professor de Economia da Trevisan Escola de Negócios. “O índice de desemprego está baixo e falta mão de obra em alguns setores da economia”, explica o professor.

Na avaliação de Leite, os profissionais qualificados (com pelo menos um curso técnico superior ou nível superior) são os que têm mais chances de conquistar um aumento este ano. “Todos os setores têm carência desse tipo de mão de obra”, afirma o professor, que destaca a construção civil, a área de saúde, a educação, a indústria e o comércio como as mais deficitárias.

Infelizmente, não é todo mundo que pode tirar proveito da economia aquecida. Para Leite, quem ocupa funções que exigem menos escolaridade terá mais dificuldade para negociar ganhos. “Existe mais concorrência nessas áreas e há dificuldade de conseguir aumento, pois há mais disponibilidade de mão de obra”, diz. Por outro lado, a rotatividade nesse segmento, cujo salário varia de 1 a 3 salários mínimos, é mais alta: ou seja, quem não conseguir aumento pode tentar emprego em outra companhia.

Negociação

Mesmo com a boa perspectiva para os salários em 2011, é bom lembrar que um aumento ou uma promoção não vão cair no colo de ninguém, principalmente se não tiver feito por merecer. “O primeiro passo é fazer uma análise e identificar quais benefícios você traz para a empresa e quais metas e resultados alcançou”, afirma Adriano José Meirinho, diretor de comunicação e marketing da Catho Online.

Outro ponto importante é entender o momento da empresa. Se a companhia tem problemas, mesmo com a economia aquecida, talvez seja melhor esperar para conversar com o chefe. “É importante verificar se a companhia não está enfrentando crise financeira ou se congelou as contratações e promoções momentaneamente”, diz Meirinho.

Se, depois de avaliar todos esses fatores, você decidiu que é hora de pedir aumento, o diretor da Catho recomenda que escolha uma boa hora para conversar o chefe e “deixe claro os motivos pelos quais acredita merecer um ganho maior”.

Se o pedido for negado, o conselho de Meirinho é continuar investindo em si próprio. “É preciso buscar constantemente reciclagem profissional, estar atento às práticas de mercado e às novas tendências. Autodesenvolvimento será sempre a chave, tanto para quem quer crescer hierarquicamente como para quem visa aumento salarial.”

veja também