MENU

Economia da Espanha cresce 0,1% no 1º trimestre e sai da recessão

Economia da Espanha cresce 0,1% no 1º trimestre e sai da recessão

Atualizado: Sexta-feira, 7 Maio de 2010 as 7:34

A economia da Espanha saiu da recessão no primeiro trimestre deste ano, com um ligeiro crescimento de 0,1% no período, na comparação com o quarto trimestre de 2009, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (7) pelo Banco da Espanha.

Uma recessão é definida como uma sequência de ao menos dois trimestres consecutivos de contração no PIB (Produto Interno Bruto); a economia espanhola já registrava retração há seis trimestres.

O Banco destaca que a melhora da economia espanhola está acompanhada pela progressiva recuperação dos números mundiais, a continuidade dos efeitos das medidas de estímulo e o aumento da confiança tanto nos consumidores, quanto no setor empresarial.

A comparação com o primeiro trimestre de 2009, no entanto, mostra que o país ainda tem um caminho a percorrer até se recuperar de fato; a contração em relação ao período de janeiro a março do ano passado foi de 1,3%.

Nos primeiros trimestres deste ano, o consumo das famílias voltou a crescer em termos trimestrais, embora as autoridades destaquem que muitas das decisões de gastos tomadas neste período refletiram a intenção de se anteciparem à alta prevista do VAT (Imposto sobre Valor Agregado, na sigla em inglês) nos próximos meses. Excluído esse fator, o consumo no país continua fraco - um sinal disso é a elevada taxa de poupança das famílias.

O nível de investimentos segue em níveis baixos pela incerteza sobre a intensidade da recuperação e pelo fato de o crédito continuar sendo restrito.

Crise

Afetada pela crise e o estouro da bolha imobiliária, a Espanha entrou em recessão no fim de 2008. A taxa de desemprego espanhola superou a marca de 20% no primeiro trimestre do ano, segundo o INE (Instituto Nacional de Estatística).

O número de desempregados no país chegou a 4,612 milhões (20,05% da população ativa), ou 286 mil pessoas a mais que no trimestre anterior e 602 mil a mais que um ano antes.

O índice de desemprego no país aumenta de maneira contínua desde o terceiro trimestre de 2007, quando estava em 7,95%.

Nota de risco

No último dia 28 a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixou a nota da dívida soberana da Espanha, que passou de AA+ para AA, e advertiu que poderá revisá-la em baixa de novo.

No mesmo dia a vice-chefe do governo espanhol, María Teresa Fernández de la Vega, divulgou na quarta-feira (28) mensagem de ''confiança e tranqüilidade'' aos cidadãos e aos mercados, e afirmou que a Espanha demonstra ser um país que ''sabe enfrentar as dificuldades, como sempre o fez, e com rigor''.

Nota de risco - ou ''rating'' - é uma avaliação feita por agências de classificação sobre a capacidade de uma empresa ou um país de pagar suas dívidas e honrar seus compromissos financeiros - e o risco de que não cumpram esses compromissos. Ou seja, é uma nota sobre a qualidade do crédito de um país.

Os analistas dessas agências consideram indicadores macroeconômicos, a situação financeira do país ou da empresa e a situação da economia global. A nota é atribuída aos títulos de dívida soberanos (no caso de um país), e com ela os investidores avaliam se o título é ''bom'' (ou seja, com baixo risco de calote) ou não.

veja também