MENU

Em baixa de 0,05%, dólar é negociado por R$ 1,69

Em baixa de 0,05%, dólar é negociado por R$ 1,69

Atualizado: Segunda-feira, 27 Dezembro de 2010 as 9:50

O dólar comercial é cotado por R$ 1,69 no início da rodada de negócios desta segunda-feira, em um decréscimo de 0,05% sobre o fechamento de sexta-feira.

O mercado deve repercutir o novo aperto da política monetária chinesa. O Banco do Povo (o banco central desse país) anunciou no sábado o aumento em 0,25 ponto percentual os juros básico, o que eleva a taxa de empréstimos para 5,85% ao ano. A taxa para remuneração de depósitos de um ano também foi ajustada, para 2,75% ao ano.

Trata-se da segunda vez em três meses que as autoridades chinesas ajustam os juros básicos da economia, em uma nova tentativa para conter a inflação e impedir a formação de "bolhas" de preços em ativos financeiros. Ao aumentar essas taxas, o governo no custo do dinheiro no sistema bancário: os empréstimos para consumo e investimentos tendem a ficar mais caros.

Semanas antes, Pequim elevou o chamado compulsório bancário, a parcela mínima dos depósitos que os bancos são obrigados a manter em reserva (sem utilizar em operações de empréstimo), em uma medida clássica para retirar dinheiro em circulação da economia e desaquecer o consumo.

A inflação dos preços ao consumidor na China alcançou recorde de 28 meses em novembro passado, ao alcançar 5,1%. Ontem, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, declarou que o país será capaz de conter a alta dos preços.

Analistas do setor financeiro já contavam com um novo ajuste da política monetária de Pequim, mas não para o final do ano.

AGENDA

Os destaques de hoje da agenda econômica são o boletim Focus (projeções do mercado) e a balança comercial. A agenda externa ganha importância a partir de amanhã, com a divulgação de uma nova sondagem sobre o otimismo do consumidor americano, e a pesquisa S&P/Case Shiller (setor imobiliário dos EUA), e na quinta, com os números sobre a demanda por auxílio-desemprego (um importante termômetro do mercado de trabalho dos EUA) e sobre as vendas preliminares de imóveis.

Na sexta-feira, os mercados brasileiros não operam, mas a Bolsa de Nova York não deve interromper suas atividades.

veja também