MENU

Em tempo de crise, 13 dicas para os empresários

Em tempo de crise, 13 dicas para os empresários

Atualizado: Quarta-feira, 7 Janeiro de 2009 as 12

1-  O momento é de cautela, não de desespero

Seja cauteloso, controle sua ansiedade e não se desespere em momento algum. Essa  crise  vai  passar  e  quanto  mais você for sereno e trabalhar, mais rápido ela terminará para você.

2-  O momento é de realismo e não de pessimismo

Uma coisa é ser realista, outra é ser pessimista. Quanto mais criativo você for, mais  alternativas terá para minimizar a crise em seu negócio. Lembre-se de que muitas oportunidades continuarão existindo e você, dependendo da avaliação, poderá aproveitá-las.

3-  Reforce sua área de vendas

Lembre-se de que se uma empresa tem vendas, todo o resto é mais fácil de resolver.  Portanto, em 2009, superdimensione sua força de vendas, fidelizando os atuais clientes e atraindo novos parceiros.

4-  Reduza custos fixos

Custos são como a unha e precisam ser cortados todos os dias, principalmente nos momentos de crise. Reavalie seu orçamento, controle melhor todas as despesas e corte/reduza todos os itens que não sejam essenciais. Lembre-se de que você vai precisar ter custos baixos para disputar um mercado muito  oncorrido.

5-  Continue investindo em marketing

Neste  momento, quando a maioria das empresas corta verbas de marketing, minha recomendação é que você reavalie o benefício/custo de todas as alternativas de comunicação e não só mantenha, como até mesmo aumente estes investimentos. As vendas adicionais é que custearão estes valores.

6-  Compartilhe a crise com a sua equipe

Não  tente resolver  tudo sozinho. Reúna  todos os seus principais colaboradores e converse com eles sobre as ameaças e oportunidades. Solicite sugestões para aumentar receitas e reduzir despesas.

7-  Reduza estoques desnecessários

Neste momento em que o custo financeiro está mais elevado e o crédito ainda mais escasso, possuir estoques elevados é totalmente incoerente. Avalie seu fluxo  de negócios e reduza os seus estoques (matéria prima, material secundário, material de expediente, produto acabado etc) para patamares mais adequados.

8-  Busque mercados inexplorados ou pouco explorados

Existem ainda em nosso Estado, no Brasil e mesmo em todo o mundo, muitos mercados potenciais que podemos considerar inexplorados ou ainda pouco explorados. Converse com sua equipe e, usando e abusando da criatividade, procure atingir estes mercados.

9-  Reavalie seu fluxo de caixa

Essa  crise  enxugou  o  crédito  no  mundo  inteiro e por isso as organizações precisam ter um fluxo de caixa ainda mais detalhado e preciso. Adote ações para antecipar a entrada de receitas e postergar o pagamento das  despesas. Não tenha receio de procurar seus fornecedores e negociar novos prazos.

10-  Evite concentrar seus negóvios em poucos clientes

É muito perigoso  concentrar a sobrevivência do nosso negócio em uma ou mesmo meia dúzia de clientes. Procure ampliar a sua clientela, o mais rápido possível.

11-  Repensem seus investimentos

Apesar do momento ser de cautela, é normal ficarmos receosos na hora de efetuar novos investimentos. Porém, as  boas  oportunidades continuam existindo  e, se você  ficar passivo e pessimista, poderá perder ótimos negócios. A sugestão  é que você pesquise, obtenha bastante informações e faça suas continhas. Se o negócio for bom, não tenha receio de concretizá-lo.

12-  Evite a demissão de funcionários

Algumas  empresas, quando falam em reduzir custos, pensam equivocadamente em demitir funcionários. Muitas vezes isso é um erro. Lembre-se  de que, atualmente, é muito difícil formar uma boa equipe, que os custos de demissão são altamente elevados e o grupo, como um todo, fica preocupado e desmotivado. Demissão de funcionários só em último caso.

13-  Reduza, se necessário, sua margem de lucro

Essa  crise,  a  exemplo  de  muitas que já enfrentamos, vai passar. O mais difícil  será  o  ano  de 2009, principalmente o 1º semestre e, por isso, não tenha medo de trabalhar com margens de lucro pequenas ou mínimas. Lembre-se de que, nestes primeiros meses do ano, o mais importante é manter a estrutura para permitir a retomada do crescimento quando a crise for embora.

Lucas Izoton

veja também