MENU

Empresário investe na produção de pães e bolos orgânicos

Empresário investe na produção de pães e bolos orgânicos

Atualizado: Domingo, 15 Maio de 2011 as 10:31

A preocupação ecológica aumenta no Brasil e a produção de alimentos orgânicos cresce a cada ano no país. Uma empresa de São Paulo aposta no segmento em alta e fabrica pães e bolos sem substâncias químicas, conservantes ou agrotóxicos.

Na padaria, a produção é toda orgânica. São bolos, biscoitos e pães integrais que, além de saudáveis, são bem saborosos. O empresário Celso Gelman montou a fábrica em 2003. Adepto da alimentação orgânica, ele percebeu a oportunidade no mercado. A qualidade é um diferencial da empresa e os produtos são certificados.

“A matéria-prima toda tem que ser orgânica, tem uma norma que diz que 95% dos ingredientes devem que ser orgânicos e tem 5% que podem ser convencional”, afirma Gelman.

A fábrica faz 1,2 mil pães por semana. São sete tipos diferentes. Do clássico 100% integral aos pães com sabores preparados com legumes orgânicos. Nas receitas entram cenoura, batata doce e abóbora.

A produção começa às 5h. Para preparar a massa do pão, são misturados em uma batedeira a farinha integral, o açúcar mascavo e o legume. Em seguida, a massa é cortada e pesada.

Depois, passa por essa máquina para ficar no tamanho certo para ser enrolada. O trabalho é feito manualmente. Depois, a massa é colocada para descansar em uma estufa por 3 horas, tempo necessário para a fermentação. Após essa etapa, é colocada no forno, são mais 40 minutos até ficar pronto.

O pão de forma orgânico não tem conservante, por isso a validade é curta. A duração de um produto na temperatura ambiente é de cinco dias. O pão normal dura, em média, três vezes mais

Para abrir uma fábrica de pães orgânicos é necessário ter batedeira, uma modeladora, estufa e um forno. O investimento é de R$ 40 mil. Entre pães, bolos e biscoitos, a empresa vende, em média, 7 mil produtos ao mês. Os preços são a partir de R$ 5 reais. O faturamento é de R$ 30 mil mensais.

“A gente tem colocado os produtos nas lojas, e menos tempo ele emplaca (...). O mercado está em expansão porque as pessoas buscam uma qualidade de vida. As pessoas procuram isso”, diz o empresário.

Clientela

Os clientes estão espalhados pela grande São Paulo, interior paulista e Vale do Paraíba. São 40 pontos de venda. Os produtos orgânicos estão cada vez mais presentes nas lojas. Em um cliente de Gelman, por exemplo, são três corredores de opções saudáveis para o consumidor. Os bolos e pães fabricados pelo empresário ficam expostos nas prateleiras, montados em um dos corredores de grande circulação dos clientes. A loja vende em média 100 itens toda semana.

Os pães representam metade das vendas. Um pacote de 400 g custa, em média, R$ 8. “É muito mais saudável. Retarda o envelhecimento, enriquece a nossa saúde, abaixa o colesterol e acrescenta muito mais, né”, opina a cliente Carina Lagiotta.   Segundo estimativa do instituto biodinâmico, uma das instituições que certifica esse tipo de alimento no Brasil, o consumo de orgânicos aumenta 30% a cada ano. “É o manejo dos alimentos que evita a utilização de pesticida ou agrotóxico ou outro defensível químico. Então, todo esse sistema resulta em alimentos que têm esse apelo mais saudável”, afirma a nutricionista Ana Fanelli.

Os produtos tornam-se uma alternativa para o consumidor atento com a qualidade da alimentação e a preservação do meio ambiente. “Muito conservante, muita coisa química, muita coisa para dar cor, e acho que isso daí ao final de muitos anos, debilita a saúde das pessoas. Então, você consumindo produtos orgânicos, tem uma qualidade de vida melhor”, sugere Gelman.        

veja também