MENU

Está pensando em comprar uma TV no Natal? Veja os novos modelos

Está pensando em comprar uma TV no Natal? Veja os novos modelos

Atualizado: Terça-feira, 28 Setembro de 2010 as 2:25

Os lançamentos de televisores para o fim do ano já começam a aparecer nas prateleiras das redes de  produtos eletrônicos. A grande sensação neste Natal serão as telas de LED, ainda mais finas que as de LCD e plasma, cujas vendas neste ano vão superar as de TVs de tubo pela primeira vez no País. Os modelos de LED mais sofisticados que estão chegando às lojas já têm menos de 1 centímetro de espessura, enquanto os demais possuem entre 2,3 centímetros e 2,7 centímetros.

Mas os preços desses novos aparelhos ultrafinos ainda são altos, enquanto os consumidores já podem comprar TVs de LCDs e plasma por valores bem mais antraentes do que no ano passado. Há ofertas de televisores de LCD por menos de R$ 1,7 mil para telas de 32 polegadas. 

O maior objeto de desejo que a Samsung vai exibir nos pontos de venda, por exemplo, custará nada menos do que R$ 18 mil. O televisor de LED transmite imagens tridimensionais (3D), possui 51 polegadas e espessura de apenas 0,7 centímetro.

A tecnologia 3D, ao lado das telas ultrafinas, é uma aposta tanto da Samsung como da LG para este Natal. A Samsung está lançando modelos 3D de 55 polegadas e 63 polegadas por cerca de R$ 10 mil a R$ 11 mil. A conexão com internet será outra opção que os consumidores vão encontrar nos novos modelos de televisores que estão sendo entregues ao varejo, sobretudo das marcas LG e Philips, que apostam suas fichas nesse recurso para seduzir os compradores.

As perspectivas são bastantes otimistas para o fim do ano. O varejo começou a fazer os pedidos e estão se preparando para uma demanda aquecida. "Esperamos vender mais que na Copa do Mundo (em abril e junho)", afirma Rafael Cintra, gerente da Samsung. As vendas de LED ainda são pequenas no Brasil: a projeção é de que sejam comercializadas 750 mil unidades este ano. Mas, para 2011, já se espera um salto nas vendas de telas ultrafinas, para 2 milhões de unidades, o que deverá representar cerca de um terço do consumo total de televisores.

Durante o mundial de futebol, os fabricantes de televisores enfrentaram problemas para abastecer as lojas devido aos gargalos no sistema de logístico de Manaus. Como houve um pico na importação de componentes, as empresas não conseguiram liberar os carregamentos a tempo para a Copa. Durante o Natal, porém, não são esperados os mesmos problemas porque as entregas estão sendo feitas de forma mais planejada e espaçada. 

O setor pretende repetir o desempenho do primeiro semestre de 2010, quando foram comercializados cerca de 6,5 milhões de aparelhos no País.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice de penetração de televisores nos lares brasileiros é de praticamente 100%, mas apenas 15% das residências possuem televisores de tela fina. Isto significa que há milhões de televisores de tubro que serão substituídos pelas novas tecnologias daqui para frente.

Só a LG, líder de vendas no segmento de tela fina, vai lançar até o fim do ano seis modelos. Mas a convergência com os computadores é uma das tendências em que a marca mais coloca a suas fichas. Além de TVs com conexão com internet, lançados em maio deste ano, a LG vai oferecer agora aparelhos com "conteúdo". A fabricante fechou pelo menos outras cinco parcerias com sites e portais da internet para os lançamentos no de fim de ano, afirmou Fernanda Summa, gerente de produtos de televisores da empresa. “Já possuímos parcerias com os sites internacionais Skype, YouTube, Picasa e AccuWeather e mais dois portais nacionais”

A expectativa da LG para o final do ano é grande. Apesar não revelar quanto planeja vender, a companhia espera que seu desempenho no mercado seja semelhante ao de 2006, quando houve a explosão das vendas de televisores de tubo de 29 polegadas no País. “Estamos vivendo um momento de transição das TVs de tubos para as TVs de tela fina, por isso existe uma demanda muito grande”, afirmou Fernanda.

Entre os aparelhos, está a TV de LED LE6500 na cor rosa nas versões 22 e 26 polegadas, com conversor digital integrado e recurso energy saving, que possibilita ao consumidor controlar o gasto de energia da TV por meio do ajuste do brilho da imagem, economizando até 60% de energia. O modelo chegará ao mercado com preço médio sugerido a partir de R$ 1,5 mil a de 22 polegadas e de cerca de R$ 2 mil a de 26 polegadas.

Outra novidade da companhia é a televisão de 14 polegadas de tubo retro. O modelo tem a tela 100% plana e pode ser ajustado para visualização em cores, preto e branco e sépia. Segundo Fernanda, a edição deste modelo é limitada e o preço sugerido é de R$ 449. A companhia ainda continua a produzir TVs de tubos, mas em menor proporção. “Ainda não temos data para encerrar a nossa produção de TVs de tubo no Brasil”, afirmou

Cinema em casa

Dos 15 lançamentos planejados pela Philips este ano no Brasil, dez devem acontecer entre este e o próximo mês. A grande aposta da companhia são as TVs com qualidade cinematográfica. Segundo Marcelo Natali, gerente técnico da área de TV, áudio e vídeo da empresa, a Philips vai lançar apenas dois modelos com tecnologia 3D. “Trata-se de uma tecnologia transitória, por isso nossas apostas estão focadas em TVs com melhor qualidade de imagem”, afirmou Natali.

Entre as novidades estão o modelo de LED Cinema 21:9, com tecnologia 3D, tela de 56 polegadas e acesso à internet com Wi-Fi e o modelo 8000 LED de 40 polegadas, com tecnologia ambilight, que garante melhor qualidade de imagem, e sistema que reduz em até 40% o consumo de energia. Ainda sem preço sugerido de venda no Brasil, as TVs devem chegar às lojas em outubro. O modelo 21:9 é a TV com as tecnologias mais avançadas que a Philips possui em seu portfólio.

De acordo com dados divulgados pela Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), cerca de 11,5 milhões de aparelhos de TVs devem ser comercializados neste ano. A alta é de 16% na comparação com o ano anterior. Este ano, pela primeira vez, os aparelhos de tela fina vão superar as TVs de tubos em vendas.

Postado por: Guilherme Pilão

veja também