MENU

Facebook contratou empresa para ''difamar'' o Google

Facebook contratou empresa para ''difamar'' o Google

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 11:30

O Facebook e a empresa de relações públicas Burson-Marsteller se envolveram em uma trapalhada campanha midiática, ao tentar lançar uma operação de difamação contra o Google. A concorrência entre as empresas pelo mercado de publicidade online tem gerado atritos cada vez mais intensos.

Ontem, o Facebook confirmou que contratou a Burson-Marsteller para plantar notícias que gerassem preocupação com a privacidade em um serviço do Google. Apesar disso, a rede social negou que se tratasse de uma campanha contra o concorrente.

Uma reportagem do jornal USA Today publicada na segunda-feira revelou que a empresa de relações públicas estava tentando convencer grandes empresas de comunicação, incluindo o jornal, a publicar notícias sobre a ferramenta do Gmail chamada Social Circle, que estaria violando a privacidade dos usuários nos Estados Unidos.

E, ontem, o site The Daily Beast publicou outra reportagem revelando que o Facebook estava por trás da campanha da Burson-Marsteller. A reportagem do site é assinada pelo jornalista Dan Lyons, editor de tecnologia da revista Newsweek e criador do blog Fake Steve Jobs, que fez sucesso há alguns anos se passando pelo fundador da Apple.

Em comunicado, o Facebook confirmou ter contratado a empresa, mas negou que se tratasse de uma campanha contra o Google.

"Nenhuma campanha de "difamação" foi autorizada ou planejada", diz o comunicado do Facebook. "Em vez disso, nós queríamos que um terceiro verificasse que as pessoas não aprovam a coleta e o uso de informações de suas contas do Facebook e de outros serviços no Google Social Circle - assim como o Facebook não aprova o uso ou coleta para este propósito. Nós contratamos a Burson-Marsteller para dar atenção a esse problema, usando informações disponíveis publicamente e que poderiam ser verificadas com independência por qualquer organização da mídia ou analista. Os problemas de privacidade são sérios e devem ser mostrados de uma forma séria e transparente."

O site The Daily Beast mostrou que a Burson-Marsteller ofereceu ajuda ao blogueiro e advogado especializado em privacidade, Chris Soghoian - um conhecido crítico do Google, segundo o New York Times -, para escrever um editorial sobre o Social Circle.

O serviço do Google usa os contatos dos usuários do Gmail para fornecer resultados de buscas otimizados, de acordo com outras buscas realizadas por pessoas que o usuário conhece.

Soghoian disse que a Burson-Marsteller estava tentando criar "tempestade em copo d"água" e que o Google não estava violando a privacidade de ninguém. Ele perguntou qual empresa estava por trás disso e a Burson não quis revelar.

O advogado então publicou os emails trocados com um representante da empresa, que revelam a tentativa de manchar a imagem do Google.

Posição. Depois de o Facebook divulgar seu comunicado, a Burson-Marsteller também confirmou ter sido contratada pela rede social nos Estados Unidos "para lançar luz sobre informações de domínio público" e afirmou que o Facebook havia pedido sigilo.

Diz o comunicado da empresa de relações públicas: "Não obstante a justificativa, este não é um procedimento aceito na Burson-Marsteller e contraria nossas políticas. Deveria, por essa razão, ter sido recusado. Nossa relação com os meios de comunicação é pautada por padrões estritos de transparência no que tange aos clientes, e este incidente reforça a inquestionável importância desse princípio".

Concorrência

As investidas do Google em redes sociais preocupam o Facebook, que disputa com o

gigante das buscas o mercado de publicidade online. O Orkut, do Google, só é grande no Brasil.

veja também