MENU

Faturamento da indústria cai 4,3% em 2009, o pior resultado em seis anos

Faturamento da indústria cai 4,3% em 2009, o pior resultado em seis anos

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2010 as 12

O faturamento da indústria subiu 3,5% em dezembro, o melhor resultado para este mês desde 2003, mas, no acumulado de todo ano passado, registrou um recuo 4,3%, informou nesta quarta-feira (10) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

Segundo a entidade, o desempenho do faturamento industrial em todo ano de 2009, período ainda marcado pelos efeitos da crise financeira internacional na economia brasileira, foi o pior resultado em seis anos. A série histórica da CNI tem início em 2003.

A entidade acrescentou, porém, que, no quarto trimestre do ano passado, frente aos três meses anteriores, o faturamento da indústria cresceu 3,5% e, com isso, o resultado de dezembro atingiu superou o patamar pré-crise (setembro de 2008) em 0,2%. 

"O resultado da crise, em 2009, foi um retrocesso para a indústria. A recuperação registrada no fim do ano passado ainda não foi suficiente para superar totalmente os efeitos da crise no emprego e nas horas trabalhadas. Ainda não podemos dizer que voltamos à normalidade. A conta da crise foi paga pela indústria brasileira", avaliou o economista da CNI, Flávio Castelo Branco.

Emprego industrial

Dados da CNI mostram que o emprego industrial também apresentou bom desempenho em dezembro, ao crescer 1,7% na comparação com o mês anterior. Este foi o sexto mês consecutivo de elevação. Em todo ano passado,  porém, houve uma queda de 3,1% - a maior desde 2003. 

"A recuperação do emprego se consolida. No quarto trimestre de 2009, frente ao mesmo período do ano anterior, o emprego cresceu 2,1%. Apesar da consistente recuperação do emprego, o indicador dessazonalizado de dezembro ainda não superou o patamar pré-crise e se mostra 1,9% inferior ao registrado em setembro de 2008", informou a CNI.

Horas trabalhadas na produção

No caso das horas trabalhadas na produção, indicador que mais se aproxima da produção industrial, houve uma queda de 0,4% em dezembro, na comparação com o mês anterior. Foi o primeiro recuo desde agosto do ano passado.

Já nos acumulado de todo ano de 2009, houve um recuo maior ainda nas horas trabalhadas: de 7,6%. Este também foi o pior desempenho também o maior recuo desde 2003, quando tem início a série histórica da CNI. 

"O número de horas trabalhadas é o indicador que se recupera mais lentamente dos impactos da crise frente às demais variáveis pesquisadas: o indicador de dezembro de 2009 ainda se mostra 7,1% inferior ao de setembro de 2008", informou a entidade.

Uso do parque fabril

O nível de utilização do parque fabril (capacidade instalada) também avançou em dezembro de 2009 - contra o mês anterior. O indicador dessazonalizado atingiu 81,7% em no fim do ano passado, na comparação com 81,3% em novembro. O resultado de dezembro é o maior valor desde outubro de 2008 (82,5%).

"Dos doze meses de 2009, em nove a UCI [utilização da capacidade instalada da indústria] registrou expansão. Cabe destacar que a expansão da UCI  ocorre de forma constante, mas gradual", informou a Confederação Nacional da Indústria.

veja também