MENU

Faturamento da indústria tem crescimento marginal em agosto

Faturamento da indústria tem crescimento marginal em agosto

Atualizado: Quinta-feira, 6 Outubro de 2011 as 2:40

O faturamento da indústria registrou crescimento pelo terceiro mês consecutivo em agosto deste ano, informou nesta quinta-feira (6) a Confederação Nacional Indústria. A taxa de expansão, porém, foi pequena (+0,3%).

"O quadro de agosto não é de forte expansão, mas a continuidade das taxas de crescimento das variáveis pesquisadas contrasta com a estagnação observada na primeira metade do ano", avaliou a CNI, por meio dos Indicadores Industriais.

Já no acumulado de janeiro a agosto deste ano, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira, a expansão da indústria mostra desaceleração.Isso porque a taxa de crescimento foi de 5,4% neste período, contra um crescimento de 11,3% em igual período de 2010.

Trata-se do pior desempenho, para os sete primeiros meses de um ano, desde 2009 - quando houve recuo de 7,8% no faturamento por conta da crise financeira internacional.

Mês a mês

As informações da entidade mostram um comportamento instável do faturamento da indústria no decorrer deste ano. Em janeiro, houve uma queda de 1,1%, mas em fevereiro foi registrado um crescimento de 6,2%. Em março, o faturamento voltou a apresentar queda (-5,3%), enquanto que, em abril, foi apurada uma taxa de elevação de 2%. Em maio, houve um recuo de 1,3%. Em junho, o crescimento foi de 0,2% e de 1% em julho. Já em agosto, a taxa de expansão foi de 0,3%.

Emprego industrial e horas trabalhadas

Os dados da CNI também mostram estabilidade no emprego industrial em julho, que não cresceu, mas também não recuou - fato que já acontece pelo terceiro mês consecutivo. Já de janeiro a agosto deste ano, ainda segundo informações da entidade, o emprego industrial avançou 2,9%.

"A defasagem do emprego frente aos demais indicadores mostra que essa variável só voltará a crescer se a atividade industrial mantiver a expansão no segundo semestre", avaliou a CNI.

No caso das horas trabalhadas na produção (indicador relacionado com a produção do setor), a CNI informou que houve um aumento de 0,2% em agosto. Já no acumulado deste ano, até agosto, as horas trabalhadas na produção cresceram 2%.

Queda da ociosidade

A Confederação Nacional da Indústria informou ainda que o nível de uso do parque fabril da indústria, indicador conhecido como "utilização da capacidade instalada", aumento 0,2 ponto percentual em julho, para 82,2%. Em junho, o indicador estava em 82%. Com isso, caiu um pouco o nível de ociosidade do parque industrial.      

veja também