MENU

Feirão da Caixa no Rio tem imóveis a partir de R$ 50 mil

Feirão da Caixa no Rio tem imóveis a partir de R$ 50 mil

Atualizado: Sábado, 21 Maio de 2011 as 7:05

O 7º Feirão da Casa Própria da   Caixa Econômica Federal   começou nesta sexta-feira (20), no Riocentro, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, oferecendo 48.580 imóveis, entre novos e usados, em vários municípios fluminenses. Deste total, 36.613 unidades ainda estão na planta. Os valores dos imóveis variam de R$ 50 mil a R$ 3 milhões, com média de preço de R$ 150 mil. Os juros variam de 4,5% a 13,5% ao ano, de acordo com o tipo de financiamento, com prazo máximo de 30 anos.   De acordo com a superintendente regional da Caixa Econômica no Rio, Nelma Souza Tavares, são esperadas 90 mil pessoas nos três dias de feirão, que vai até domingo. A expectativa é fechar 8,5 mil negócios, no valor total de R$ 1,2 bilhão. Segundo Nelma, no primeiro trimestre em 2011 a Caixa fechou 15% a mais de contratos de financiamento na comparação com o mesmo período do ano passado.

O feirão foi aberto às 10h, com a presença do governador Sérgio Cabral, do prefeito do Rio, Eduardo Paes, e do presidente da Caixa Econômica, Jorge Hereda. Na chegada, havia muito engarrafamento para o estacionamento, e algumas pessoas reclamavam da demora para chegar ao Riocentro. “Levei 40 minutos da Barra da Tijuca para cá”, reclamava um homem ao telefone, sobre o tempo que levou para percorrer alguns quilômetros do bairro vizinho.

Renda máxima para Minha Casa, Minha Vida não vai aumentar De acordo com o presidente da Caixa, cerca de 300 mil pessoas compareceram em outras cidades brasileiras onde o Feirão já foi realizado neste ano: São Paulo, Curitiba, Salvador, Fortaleza, e Uberlândia. “Foram fechados 57 mil negócios, totalizando R$ 6,1 bilhões. É um aumento de 18% no número de contratos de financiamento em relação a 2010”, informou Hereda.

“O Feirão mostra que qualquer família pode ter acesso ao financiamento habitacional”, enfatizou Hereda, deixando claro que o teto da renda familiar para ter acesso ao programa Minha Casa, Minha Vida não vai aumentar em mais de R$ 4,9 mil.

Casal quer sair da casa da sogra O casal Marcelo Vilhena, de 36, que trabalha como vigia, e Elizabeth de Freitas, de 46, e que é dona de casa, está em busca de uma casa de R$ 50 mil, que é o valor mínimo oferecido no Feirão. “A gente prefere uma casa por causa das crianças, para elas poderem brincar”, explica Elizabeth. Hoje, os dois moram de favor na casa da mãe de Marcelo.

“Eu fiz uma simulação de R$ 50 mil, que é o ideal para eu poder pagar, pelo Minha Casa, Minha Vida. Mas uma casa é mais difícil do que um apartamento”, contou Vilhena. Mas nenhum dos dois titubeia ao responder se mudariam a opção, caso surgisse um aparamento. “Melhor o apartamento do que ficar com a sogra”, diz Elizabeth, com um sorriso.

veja também