MENU

Feirão terá 68,6 mil imóveis financiados com FGTS e juro menor

Feirão terá 68,6 mil imóveis financiados com FGTS e juro menor

Atualizado: Quarta-feira, 4 Maio de 2011 as 4:45

O Feirão da Casa Própria, realizado pela Caixa Econômica Federal, terá 68.599 imóveis com valor até R$ 170 mil em São Paulo e, portanto, que podem ser financiados com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Ao todo, o evento que vai acontecer entre 13 e 15 de maio no Centro de Exposições Imigrantes terá mais de 195 mil imóveis à venda no Estado, a maioria na região metropolitana. O feirão será realizado também em outras 12 cidades até 12 de junho, oferecendo mais de 450 mil unidades.

A taxa de juros com recursos do FGTS é menor do que a das linhas que usam recursos da caderneta de poupança e limitada a 8,16% ao ano mais TR. Nesse caso, as famílias devem ter renda mensal familiar até R$ 4.900.

Desse total, 38.210 moradias se enquadram nas regras do Minha Casa, Minha Vida, que tem o mesmo teto, mas um limite inferior para a renda mensal (R$ 4.650).

O programa federal é destinado a imóveis novos, com Habite-se (certificado de conclusão de obra) emitido a partir de 26 de março de 2009 e possibilita um valor menor para o seguro do imóvel e de vida do mutuário, despesas reduzidas com registro no cartório e cobertura em caso de desemprego.

Os juros na linha com recursos do FGTS começam em 5,0% ao ano mais TR (veja tabela abaixo) e financiam até 100% do imóvel. É possível conseguir uma redução de 0,5 ponto percentual em todas as faixas de renda, desde que o futuro mutuário tenha conta individual vinculada ao fundo há pelo menos três anos, consecutivos ou não.

POUPANÇA

Com recursos da poupança, o financiamento chega a 90% do valor do imóvel e não há limite de renda. Para moradias enquadradas dentro do SFH (Sistema Financeiro da Habitação), no qual o trabalhador pode usar o saldo da sua conta do FGTS para reduzir o financiamento e as moradias devem ser avaliadas em até R$ 500 mil, os juros vão até 10,5% ao ano mais TR (taxa pós-fixada) e 12,1% ao ano (pré-fixada).

O superintendente regional da Caixa em São Paulo, Válter Nunes, explica que o evento terá um dia a menos na sétima edição, começando na sexta-feira (13), porque a procura no primeiro dia, uma quinta-feira, era sempre menor e há o deslocamento de 700 funcionários do banco para o atendimento no local.

Ao contrário do que aconteceu no Salão Imobiliário de São Paulo, em setembro passado, não haverá taxa menor para negócios fechados ou encaminhados no feirão.

Segundo Nunes, uma avaliação dos outros concorrentes mostrou que a Caixa "está bem posicionada", logo não haveria necessidade de oferecer juros diferenciados. As linhas da Caixa têm prazo de pagamento de até 30 anos e juros de até 13,5% ao ano mais TR.

CUIDADOS

A vantagem do feirão para quem está procurando um imóvel é reunir em um único local todos os agentes da cadeia, como construtoras, corretores, cartórios e técnicos do banco responsáveis por analisar e liberar os financiamentos.

Consultores alertam, no entanto, para que os futuros mutuários avaliem com calma as condições do empréstimo e não apenas se a parcela vai caber no orçamento, além da estrutura do imóvel e do seu entorno, o que inclui transporte, comércio local e segurança, para não se arrepender depois do negócio fechado.

Taxa de juros para financiamentos com recursos do FGTS (*)

Até R$ 2.325 - 5% ao ano mais TR

Entre R$ 2.325,01 e R$ 2.790 - 6% ao ano mais TR

Entre R$ 2.790,01 e R$ 4.900** - 8,16% ao ano mais TR

*a taxa é menor, a partir de 4,5%, para cotistas do FGTS (trabalhadores que têm conta individual vinculada ao fundo há pelo menos três anos, consecutivos ou não)

**R$ 4.650 dentro do Minha Casa, Minha Vida

veja também