MENU

Festas natalinas aquecem vendas de chocolate em dezembro

Festas natalinas aquecem vendas de chocolate em dezembro

Atualizado: Segunda-feira, 1 Dezembro de 2008 as 12

Festas natalinas aquecem vendas de chocolate em dezembro

O calor do Natal brasileiro aquece não só os corações, mas também as vendas de chocolate. Nem mesmo o nosso clima tropical impede um considerável aumento da procura por chocolates, como uma opção de presente cada vez mais consolidada. O crescimento das vendas no mercado de chocolates nesta época vem ocorrendo de forma consistente nos últimos anos e a data já é vista por alguns fabricantes como ''uma segunda Páscoa''.

Seja pelo aumento do poder aquisitivo no País, seja pelo lançamento de novas variedades, ou pelo gosto do brasileiro pelo chocolate, o fato é que o mercado vem se mantendo aquecido o ano inteiro. Além de fazer parte do dia a dia do consumidor, cada vez mais o chocolate também vem ganhando espaço quando o assunto é presentear, em qualquer momento ou tipo de festividade.

A estimativa é que em dezembro as vendas de produtos de chocolate de uso continuado (barras, bombons e tabletes) cheguem a 26,1 mil toneladas, o que representa um crescimento de cerca de 10% em comparação à média dos demais meses do ano e 5% acima de dezembro de 2007. Segundo dados Nielsen, as vendas de chocolate no Natal representam 18% do mercado anual.

A média mensal de 2008 estimada até agora pela ABICAB (fora a Páscoa, que é um momento atípico) foi de 23,8 mil toneladas, cerca de 4,8% maior que a do ano passado. Em 2007 a média mensal foi de 22,7 mil toneladas, 15,8% acima de 2006, quando a média mensal foi 19,6 mil toneladas.

No final do ano os fabricantes de chocolate estimulam o desejo dos consumidores, exercendo toda a sua criatividade com o lançamento de produtos alusivos à época, seja em formatos, seja nas embalagens ou no conceito. Além de presente pessoal, o chocolate também tem sido oferecido como brinde de empresas, é parte importante das cestas de Natal e também vai à mesa como ingrediente nobre do cardápio das ceias e almoços festivos.

''Nosso lema é que o chocolate qualifica quem dá e agrada a quem recebe'', diz Mauricio Weiand, vice-presidente da área Chocolate da Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados – ABICAB –. “É um produto eclético. Pode ser sofisticado, exótico, proporcionar diversão e, ao mesmo tempo, oferece uma grande variedade de sensações de prazer”. Também vêm ganhando a preferência do consumidor os panetones recheados de chocolate, que hoje já representam 40% do total produzido.

Consumo anual per capita: 2,53 quilos, vendas de chocolate em 2008: 300 mil toneladas.

veja também