MENU

Fusão entre Pão de Açúcar e Casas Bahia

Fusão entre Pão de Açúcar e Casas Bahia

Atualizado: Sábado, 5 Dezembro de 2009 as 12

A fusão das Casas Bahia pelo Grupo Pão de Açúcar, anunciada nesta sexta-feira (4), deve gerar algumas reestruturações no quadro de funcionários e no possível fim da marca Extra Eletro. Atualmente, as duas empresas têm 126 mil colaboradores, sendo 66 mil do Pão de Açúcar e 60 mil das Casas Bahia, segundo os sites oficiais. No entanto, a nova empresa, fruto da fusão, deve ter 68 mil postos de trabalho - uma diferença de 58 mil empregos - segundo o executivo do Pão de Açúcar, Abílio Diniz.

O provável corte dos funcionários pode estar atrelado às reestruturações que envolvem também o fim da marca Extra Eletro, segundo Claudio Galeazzi, presidente da CDB (Companhia Brasileira de Distribuição). Ele afirma que como o Extra Eletro é a menor das operações do grupo, a empresa deve ser transformada em lojas das Casas Bahia ou Ponto Frio para que as operações não fiquem "pulverizadas", ou seja, separadas. Na prática, não há lucro vender o mesmo produto dentro de várias empresas do mesmo grupo.

A primeira novidade sobre a nova empresa, que ainda não possui um nome, está no comando. O filho de Michel Klein (neto de Samuel Klein), Raphael Klein, será o diretor da nova corporação. O valor da negociação em torno da fusão não foi divulgado, mas tendo como base o faturamento de 2008 do Pão de Açucar e do Ponto Frio, a estimativa é de R$ 40 bilhões.

Segundo Klein, as sinergias da fusão serão usadas para fortalecer o Pão de Açúcar e transferir os benefícios aos clientes. A nova empresa terá 1.015 lojas e vai chegar a 337 municípios brasileiros, em 18 Estados e no Distrito Federal. O número de funcionários chegará a 68 mil e serão 43 centros de distribuição. Ao comprar as Casas Bahias, o Pão de Açúcar assumiu a dívida de R$ 950 milhões das Casas Bahia e a carteira de crédito dos clientes de R$ 1 bilhão.

A nova empresa que surgirá com a fusão pretende consolidar a liderança isolada no setor do varejo de bens duráveis e de comércio eletrônico. Na fusão, a Globex, que pertence ao Pão de Açúcar, terá 51% das ações ordinárias (com direito a voto), enquanto as Casas Bahia será titular de 47,8% das ações ordinárias e 2,2% das preferenciais (sem direito a voto), que serão conversíveis em ações ordinárias ou resgatáveis. A intenção das empresas é a de que Casas Bahia atinja participação de 49% no capital votante da Globex.

Negócios

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) tem até 120 dias para aprovar a fusão. Abílio Diniz afirma "não temer" a incorporação das Casas Bahia e afirma que a nova empresa terá somente 20% do mercado.

- Estamos muito tranquilos. São mil lojas [juntando Ponto Frio, Pão de Açúcar e Casas Bahia] no mercado de 20 mil. Mesmo assim, os advogados da empresa seguirão com as medidas necessárias no acompanhamento do caso.

Em junho, o grupo Pão de Açúcar comprou a rede Ponto Frio. Na época, o Ponto Frio faturava R$ 4,8 bilhões ao ano e possuía 455 lojas distribuídas por dez Estados e Distrito Federal, que foram incluídas no negócio, assim como os centros de distribuição e a loja pela internet.

fonte: r7.com

veja também