MENU

Gerdau tem lucro 17% maior no 3º trimestre

Gerdau tem lucro 17% maior no 3º trimestre

Atualizado: Quinta-feira, 10 Novembro de 2011 as 3:27

A Gerdau , uma das maiores fornecedoras de aços longos das Américas, viu seu lucro líquido consolidado crescer 17% no terceiro trimestre, quando comparado ao registrado um ano antes, para R$ 713 milhões. A melhora, segundo o grupo, reflete principalmente menores despesas financeiras, efeitos cambiais e benefícios fiscais decorrentes do pagamento de juros sobre o capital próprio.

De julho a setembro, a receita líquida do grupo siderúrgico totalizou R$ 8,967 bilhões, com alta de 9% na comparação anual. O crescimento reflete os maiores volumes comercializados em todas as unidades de negócio da Gerdau.

Em relatório, a Gerdau informa que as operações América do Norte e Aços Especiais foram beneficiadas também pela maior receita líquida por tonelada vendida. Já na América Latina, "o crescimento da receita líquida ficou em linha com o aumento dos volumes vendidos". No Brasil, a ligeira expansão da receita líquida deveu-se ao maior volume de vendas, parcialmente compensado pela redução na receita líquida por tonelada vendida.

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) no terceiro trimestre caiu 4%, na mesma base de comparação, para R$ 1,215 bilhão, na esteira do maior custo das vendas (puxado pelo maior volume vendido) e aumentos dos preços das matérias-primas, com estabilidade dos preços de produtos de aço. A margem Ebitda trimestral ficou em 14%, comparada a 15% um ano antes.

De julho a setembro, a produção de aço bruto da companhia totalizou 5,018 milhões de toneladas, com alta de 14%, e a de laminados avançou 16%, para 4,21 milhões de toneladas. As vendas em volume alcançaram 4,849 milhões de toneladas, 10% acima do verificado um ano antes.

A Gerdau investiu R$ 616 milhões no terceiro trimestre, dos quais 79% nas unidades brasileiras. No acumulado de janeiro a setembro, os aportes nas operações totalizaram R$ 1,3 bilhão. Entre 2011 e 2015, a siderúrgica planeja investimentos da ordem de R$ 10,8 bilhões.      

veja também