MENU

Graça Foster assume presidência da Petrobras e promete continuidade

Graça Foster toma posse na Petrobras

Atualizado: Terça-feira, 14 Fevereiro de 2012 as 8:55

Tomou posse na tarde desta segunda-feira (13) a nova presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster. A engenheira substitui no cargo José Sergio Gabrielli, que recebeu convite do governador da Bahia, Jacques Wagner, para participar do governo do estado.

Em seu discurso de posse, Graça Foster, como é conhecida, lembrou de sua história na estatal, onde começou como estagiária no centro de pesquisa em 1978.
“Há mais de 30 anos andamos juntos, crachá e eu. Aqui, todos os dias, registro mais um capítulo de minha história. Uma história que já conta com mais de 10 mil capítulos”.

A nova presidente da estatal afirmou que sua gestão à frente da empresa será de "continuidade", e que se sente preparada para assumir o desafio do cargo. "(A presidência da Petrobras é) um grande desafio. Um desafio maior que o somatório de todos os desafios que enfrentei até chegar ao dia de hoje. Sinto-me preparada", afirmou.

‘Primeira mulher do mundo’

Durante o discurso de posse, o momento em que Graça Foster foi mais aplaudida foi quando destacou que é “a primeira mulher do mundo a comandar uma empresa de petróleo deste porte”.

Em seguida, Graça destacou que vai seguir a risca o plano de negócios da estatal e as metas previstas. “Sempre com foco na disciplina de capital, no cumprimento das metas e prazos, sem descuidar dos aspectos de segurança e ambiental”, enfatizou a nova presidente daPetrobras.

Graça Foster também reforçou a importância de haver conteúdo nacional nos negócios da companhia. “Recentemente, o Conselho de Administração aprovou a política de diretrizes corporativas de conteúdo local da Petrobras, que estabelece a uniformização dos critérios de medição e cobrança de conteúdo local nas contratações para toda a companhia, afinal, temos um investimento de US$ 224,7 bilhões e uma estimativa de produção de 6 milhões de barris por dia até 2020”, afirmou.

A nova presidente da Petrobras ressaltou o fato de contar com uma diretoria essencialmente técnica no comando da estatal. “Sinto-me confiante porque tenho comigo uma equipe de diretores técnicos, formados pela companhia, aguerridos e conscientes de seu papel e de suas responsabilidades perante os acionistas e à sociedade brasileira”, disse.

Novos diretores

A presidente anunciou os dois novos diretores da Petrobras. Para comandar a Diretoria de Gás Energia, cargo que Graça Foster ocupava até hoje, entra José Alcides Santoro Martins. “Com 32 anos de Petrobras, que, até agora, vinha exercendo a função de gerente-executivo de operações e participações em geração de energia elétrica”, ressaltou ela.

“Para substituir o querido diretor Guilherme Estrella, na área de Exploração e Produção, assume José Miranda Formigli Filho, com 28 anos de companhia, que até então atuava como gerente-executivo do Pré-Sal”, complementou a nova presidente. A frente das outras quatro diretorias, permanecem os antigos diretores: Almir Barbassa, diretor-financeiro e de relações com investidores, Paulo Roberto Costa, na Diretoria de

Abastecimento, Renato Duque, na Diretoria de Engenharia e Serviços, e Jorge Zelada, na Diretoria da Área Internacional.

Choro ao agradecer Lula

Graça Foster destacou que, entre as prioridades está o avanço na produção no pré-sal, na construção das refinarias e no aumento da participação de produção de etanol. “Também vamos fortalecer relações com parceiros na América Latina e na África, sem descuidar do relacionamento com os parceiros em outros 27 países”, afirmou.

Ao encerrar o discurso, agradecendo a Deus e à família, Graça Foster, visivelmente emocionada, não conteve as lágrimas e chorou ao agradecer ao ex-presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva: “Agradeço ao presidente Lula pelo estímulo e apoio em tantos momentos da minha jornada profissional.”

Gabrielli ressalta realizações e não revela futuro

Em seu discurso de despedida do cargo de presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli começou alertando: “É um discurso de 52 páginas. Vocês vão dormir, mas vou ter que ler”, ressaltando que o extenso texto mencionava as principais realizações da Petrobras durante a gestão dele. Gabrielli comentou sobre o que chamou de “dez marcos” nos últimos anos, entre eles a autosuficiência, o marco regulatório do pré-sal, a capitalização da estatal, a conquista do “investment grade” e a renovação da força de trabalho.

“O novo marco regulatório do pré-sal dá ao governo brasileiro mais controle sobre o fluxo futuro”, destacou Gabrielli. “Somos o terceiro ou quarto maior produtor de etanol, com nossos sócios. E somos o maior produtor de biocombustíveis”, ressaltou. “Consegui conquistar a confiança de petroleiros e petroleiras que viram chegar um terceirizado. Consegui superar as desconfianças iniciais do mercado financeiro. Recebi muitos prêmios de ambas as indústrias: financeira e petroleira”, acrescentou.

Ao final, Gabrielli, comentou sobre o possível futuro em algum órgão do governo baiano. “É hora da chegada na Bahia. Saio com a sensação do dever cumprido. Saio para levar os conhecimentos adquiridos para a terra natal”, disse, sem revelar, no entanto, qual cargo irá desempenhar. “Para a Bahia eu me vou. Viva a Petrobras!”, encerrou, sorridente, para dar um caloroso abraço em Graça Foster.

veja também