MENU

Hitachi e Mitsubishi Heavy Industries negociam fusão, diz agência

Hitachi e Mitsubishi Heavy Industries negociam fusão, diz agência

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2011 as 9:15

As gigantes japonesas Hitachi e Mitsubishi Heavy Industries concordaram em iniciar negociações para uma possível fusão, que, se de fato acontecer, criará uma das maiores companhias mundiais no setor de infraestrutura, informa a imprensa local.

A Hitachi, o maior grupo japonês de eletrônica industrial, e a Mitsubishi Heavy Industries, principal fabricante de maquinaria pesada do Japão , buscam uma integração de grande escala que uniria suas divisões de infraestrutura e tecnologia da informação a partir de abril de 2013, segundo a versão digital do diário econômico “Nikkei”.

Suas operações no setor de infraestrutura incluem usinas de energia nuclear, térmica e renovável, além de instalações de tratamento de água e de automotores.

As duas companhias somam vendas anuais de mais de 12 trilhões de ienes (109 bilhões de euros), só superadas no Japão pelas do grupo Toyota.     O acordo entre os dois grupos para iniciar conversas, confirmado pelo presidente da Hitachi, Hiroaki Nakanishi, foi promovido pela crise na usina nuclear de Fukushima, que prejudicou o futuro de seus negócios no campo de energia nuclear, detalhou o “Nikkei”.

Aos efeitos da tragédia se somou a valorização do iene frente ao dólar e ao euro, o que se traduziu em uma perda de competitividade das empresas japonesas no âmbito internacional.

A Hitachi é a única fabricante de maquinaria elétrica presente tanto no setor de infraestrutura como no de tecnologia da informação, enquanto a Mitsubishi Heavy, uma das líderes mundiais em maquinaria pesada, tem uma crescente presença no setor de energias renováveis.

Fundado em 1910 e com mais de 361 mil empregados, o grupo Hitachi teve no ano fiscal de 2010, finalizado em março, vendas de 9,32 trilhões de ienes (84,688 bilhões de euros), segundo dados da agência local “Kyodo”.

A Mitsubishi Heavy, fundada em 1884 como um estaleiro, conta com 68.800 funcionários e teve receita de 2,9 trilhões de ienes (26,351 bilhões de euros) no último ano fiscal.            

veja também