MENU

IBGE: queda de preços de alimentos puxa desaceleração do IPCA-15

IBGE: queda de preços de alimentos puxa desaceleração do IPCA-15

Atualizado: Quarta-feira, 20 Julho de 2011 as 10:17

 desaceleração da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) de 0,23% para 0,10%, na passagem de junho para julho, foi puxada, em parte, pela queda nos preços dos alimentos. O grupo registrou recuo de 0,39%, após uma variação de 0,11% na leitura anterior, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ocorreu queda generalizada nos preços, contra um aumento em apenas poucos itens. Entre os alimentos que ficaram mais baratos, destacam-se cenoura (-11,96%), tomate (-5,18%), frutas (-5,16%), hortaliças (-4,99%), batata-inglesa (-4,13%), frango (-3,37%), carnes (-1,50%) e arroz (-1,29%). Com o resultado, o grupo alimentação e bebidas exerceu impacto de -0,09 ponto porcentual no resultado do IPCA-15 de julho.

Etanol e gasolina

O preço do etanol voltou a acelerar, reduzindo o ritmo de queda da gasolina, na leitura do IPCA-15 de julho, divulgada hoje pelo IBGE. O IPCA-15 saiu de uma alta de 0,23% em junho para 0,10% em julho.

Mesmo tendo exercido o principal impacto negativo, de -0,06 ponto porcentual, a gasolina recuou 1,49% em julho, contra uma queda de 3,43% na leitura anterior. A diminuição do ritmo de queda foi consequência da alta de 1,79% do etanol, após ter recuado 16,53% em junho. A alta do etanol foi concentrada na região metropolitana de São Paulo, onde o preço do litro do produto aumentou 5,75%. Mas houve aumentos relativamente acentuados também em Curitiba (2,07%), Brasília (1,82%) e Salvador (1,55%).

O grupo Transportes ainda registrou recuo de 0,02% em julho, após uma queda mais acentuada em junho, de 0,73%.          

veja também