MENU

IGP-DI acelera em setembro, mostra FGV

IGP-DI acelera em setembro, mostra FGV

Atualizado: Quinta-feira, 6 Outubro de 2011 as 9:23

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) teve variação de 0,75%, em setembro, após subir 0,61% no mês anterior, segundo informou, nesta quinta-feira (6) a Fundação Getulio Vargas ( FGV ).  No ano, o indicador acumula alta de 4,3% e, em 12 meses, de 7,45%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a inflação no atacado, passou de 0,77% para 0,94% em setembro. O índice relativo a bens finais teve recuo: de 1,14% em agosto para  -0,05% em setembro, impulsionado pelo subgrupo alimentos processados (de 3,35% para 0,17%).

O índice do grupo bens intermediários apresentou taxa de variação de 0,65%, contra -0,30% no mês anterior, com destaque para o subgrupo materiais e componentes para a manufatura (de -0,58% para 0,84%).

Quanto ao estágio das matérias-primas brutas, a taxa subiu de 1,73%, em agosto, para 2,44%, em setembro, com as maiores influências partindo de milho em grão (de -3,13% para 3,33%), café em grão (de 0,97% para 9,57%) e soja em grão (de 2,69% para 5,49%), aves (de 9,02% para -0,27%), suínos (de 11,12% para -6,73%) e bovinos (de 1,24% para -0,80%).

Preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou taxa de variação de 0,50%, contra 0,40% antes. Das sete classes de despesa, seis mostraram acréscimo nas taxas de variação, com destaque para habitação (de 0,38% para 0,65%).

Apresentaram comportamento semelhante: vestuário (de -0,33% para 0,93%), despesas diversas (de -0,04% para 0,29%), transportes (de 0,11% para 0,14%), saúde e cuidados pessoais (de 0,46% para 0,51%) e educação, leitura e recreação (de 0,19% para 0,20%). Na contramão, registrou aceleração o grupo alimentação (de 0,80% para 0,55%).

Custo da construção

Em setemnbro, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) ficou em 0,14%, acima do resultado do mês anterior, de 0,13%. Dois dos três grupos que integram o índice apresentaram aceleração: materiais e equipamentos (de 0,16% para 0,23%) e serviços (de 0,47% para 0,48%). Em sentido inverso, o grupo mão de obra apresentou desaceleração (de 0,04% para 0,01%).            

veja também