MENU

IGP-DI desacelera para 0,96% em fevereiro, mostra FGV

IGP-DI desacelera para 0,96% em fevereiro, mostra FGV

Atualizado: Sexta-feira, 4 Março de 2011 as 9:46

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou para 0,96% em fevereiro, contra alta de 0,98% no mês anterior, segundo informou nesta sexta-feira (4) a Fundação Getulio Vargas (FGV). Nos últimos 12 meses, taxa acumula alta de 11,12%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) passou de 0,96% para 1,23%. O índice relativo a bens finais teve variação de 0,74%, contra recuo de 0,16% um mês antes. O resultado foi puxado pelo avanço do subgrupo alimentos in natura (de -1,33% para 6,28%).

Já a variação do índice relativo ao grupo bens intermediários foi de 0,81% para 0,90% em fevereiro, com a maior influência partindo do subgrupo materiais e componentes para a manufatura (de 0,85% para 1,14%). No estágio das matérias-primas brutas, a taxa desacelerou de 2,46%, em janeiro, para 2,21%, em fevereiro.

O IGP-DI é é o indexador das dívidas dos estados com a União. Também faz parte de uma cesta de índices usados para correção das tarifas de telefonia.

Preços ao consumidor

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) ficou abaixo do registrado em janeiro, passando de 1,27% para 0,49%. Entre os grupos de despesas pesquisadas pela FGV, o destaque ficou com alimentação (de 1,36% para 0,12%). Em seguida, aparecem educação, leitura e recreação (de 4,01% para 0,44%), transportes (de 2,69% para 1,16%), saúde e cuidados pessoais (de 0,46% para 0,41%) e vestuário (de -0,12% para -0,17%).

Na contramão, ficaram ainda mais caros os gastos relativos a habitação (de 0,34% para 0,58%) e despesas diversas (de 1,25% para 1,49%).

Custo da construção

Em fevereiro, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,28%, abaixo do resultado do mês anterior, de 0,41%. Teve desaceleração o grupos de serviços (de 1,95% para 0,45%). Por outro lado, grupo mão de obra recuou de 0,12% para 0,02%. Já o grupo materiais e equipamentos apresentou aceleração (de 0,35% para 0,56%).

veja também