MENU

Importações chinesas caem 43,1% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2008

Importações chinesas caem 43,1% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2008

Atualizado: Quinta-feira, 12 Fevereiro de 2009 as 12

Considerada a locomotiva da economia mundial, a China sente, no comércio, os efeitos da crise financeira internacional. Em janeiro deste ano, o gigante asiático reduziu quase pela metade suas compras externas. A queda nas importações foi de 43,1% na comparação com janeiro de 2008.  Já as vendas de produtos chineses para o resto do mundo caíram 17,5% no mesmo período, segundo balanço divulgado hoje (11) pela Administração Geral de Aduanas daquele país. Na comparação com dezembro de 2008, a queda geral das importações foi de 3,8%. Já as exportações subiram 10,1%.

No setor de máquinas e eletrônicos, responsável por 54,3% das exportações chinesas, a queda nos embarques foi de 20,9%, com vendas totais de US$ 49,14 bilhões. Já as exportações do segmento de produtos de alta tecnologia despencaram 28%, ficando em US$ 21,66 bilhões.

Apesar do recuo nas trocas comerciais em relação a um ano atrás, dois segmentos registraram aumento nos embarques para outros países. As vendas de calçados cresceram 10,6% no primeiro mês de 2009 se confrontadas com janeiro do ano passado, alcançando a cifra de US$ 2,9 bilhões. Aumento também nos embarques de roupas: 5,7%, totalizando USS 10,51 bilhões.

Com relação às importações, as compras de aço caíram 11,2% frente a janeiro de 2008. Queda também nas compras de petróleo cru (8%) e de petróleo refinado(26,2%), O recuo nas importações de produtos manufaturados foi de 39,9%.

No balanço geral, o intercâmbio comercial chinês foi de US$ 141,8 bilhões em janeiro -  US$ 51,34 bilhões de importações e US$ 90,45 bi de exportações. Para se ter uma idéia, a corrente brasileira de comércio   fechou janeiro em US$ 20,094 bilhões, com exportações de US$ 9,78 bilhões e importações de US$ 10,306 bilhões, registrando, igualmente, sobre igual período anterior, queda de 12,6%, pela média diária.

De acordo com o governo chinês, as trocas com a União Européia, principal parceiro comercial da China, caíram 18,7%, totalizando US$ 27,93 bilhões. Queda de 15,2% no intercâmbio comercial com os Estados Unidos, segundo principal parceiro, com cifras totais de US$ 22,5 bilhões. Já o comércio com o japão encolheu 28%, alcançando a cifra de US$ 14,5 bilhões.

Não foram divulgados dados referentes ao comércio com o Brasil. A China é nosso terceiro maior parceiro comercial, atrás apenas dos Estados Unidos e da Argentina. Em dezembro, as exportações do Brasil para a China registraram crescimento de 26,88 em relação ao mês anterior, totalizando US$ 710 milhões. Já as importações de produtos chineses caíram 24,07, mas continuaram muito superiores às exportações, com uma cifra total de US$ 1,33 bilhão. Na comparação com dezembro de 2007, houve alta tanto de compras quanto de vendas brasileiras. Em 2008, embora tenha crescido 9% - muito acima da média mundial - a economia chinesa registrou seu pior resultado dos últimos sete anos.

veja também