MENU

Inadimplência cresceu mais em SP que no RJ em novembro

Inadimplência cresceu mais em SP que no RJ em novembro

Atualizado: Quarta-feira, 29 Dezembro de 2010 as 10:45

Em novembro, embora a inadimplência dos consumidores tenha subido tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro, essa alta foi mais intensa entre aqueles que vivem na capital paulista do que entre os cariocas.

Enquanto em São Paulo houve alta de 9,3% na taxa, no Rio de Janeiro o aumento foi bem menos intenso, de 0,2%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, mostram dados do CDL-Rio (Clube de Dirigentes Lojistas do Rio de Janeiro) e da ACSP (Associação Comercial de São Paulo).

Entre janeiro e novembro, por outro lado, a inadimplência entre os cariocas caiu 0,7%. Enquanto que em São Paulo, a taxa ficou em 0,3% maior no período.

Débitos quitados

O aumento menor na taxa de inadimplência no Rio de Janeiro muito se deve ao aumento do pagamento das dívidas atrasadas pelos cariocas. Na comparação com novembro de 2009, houve elevação de 12,2% nas dívidas quitadas.

Já em São Paulo, comparando os dois períodos, o percentual de dívidas pagas, representadas pelos registros cancelados no serviço de proteção ao crédito, ficou em 9,2%.

Para a ACSP, o crescimento desse indicador na capital paulista deve-se à abundância de crédito, a geração de novos empregos formais e pela campanha de renegociação de dívidas.

Cheques

Considerando a consulta de cheques nas duas capitais, elas foram maiores na capital paulista em novembro. Segundo a ACSP, frente ao mesmo mês de 2009, houve um aumento de 10,3% na consulta com cheques, ao passo que no Rio de Janeiro, a elevação foi de 5,6% no período.

No acumulado do ano, as consultas foram maiores no Rio de Janeiro, com alta de 10%. Já as consultas realizadas na capital paulista registraram alta de 6,9% no mesmo período.

A inadimplência com cheques no Rio de Janeiro cresceu 0,8% em novembro, frente ao mesmo mês de 2009, segundo a CDL. O percentual difere do registrado em todo o país. De acordo com a ACSP, o número de cheque sem fundos registrados no SCPC registrou queda de 22,4%.

Ainda na capital carioca, houve um aumento de 6,5% nas dívidas quitadas com cheques, ao passo que as consultas registraram aumento de 5,6%.

veja também