MENU

Inadimplência recua 1,85% em 2010, dizem lojistas

Inadimplência recua 1,85% em 2010, dizem lojistas

Atualizado: Quinta-feira, 13 Janeiro de 2011 as 11:49

A taxa de inadimplência recuou 1,85% em todo ano de 2010, na comparação com o ano anterior, informou nesta quinta-feira (13) a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em conjunto com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Em 2009, na comparação com o ano anterior, a inadimplência havia recuado bem mais: 14,09%.

De acordo com a CNDL/SPC, essa queda da inadimplência no ano passado se deve ao maior rendimento da população e, também, à "escalada" da massa salarial no período, aliados aos 2,5 milhões de empregos formais registrados em 2010.

A CNDL lembra que sua base de dados incorpora os grandes e pequenos varejistas, mas não inclui as operações com cartões de crédito. As transações com cartões de crédito absorvem cerca de 20% do volume total de operações, segundo estimativas da entidade.

Consultas em cancelamentos

"Esses fatores [aumento da massa salarial e do emprego] também contribuíram para o maior volume de consumo, o que explica o grande número de consultas realizadas para compras a prazo e pagamentos em cheque nos mais de 800 mil pontos credenciados pelo SPC Brasil", informaram as entidades.

No ano passado, o volume de consultas, na comparação com 2009, avançou 8,25%. No caso dos cancelamentos dos registros de inadimplência, ou seja, com pessoas "limpando" o seu nome, houve um crescimento de 5,69% em todo ano passado.

Natal

A CNDL e a SPC Brasil também informaram nesta quinta-feira que a inadimplência subiu 2,73% em dezembro deste ano, na comparação com igual mês de 2009. "O cenário econômico positivo aumenta a confiança do consumidor, o que o faz gastar mais e ficar mais otimista, mas, ao mesmo tempo, aumentar suas dívidas quando sua confiança é maior do que sua capacidade de honrar seus compromissos", avaliram as entidades.

No caso das consultas, os números da CNDL/SPC Brasil mostram aumento do consumo no Natal de 2010. No ano passado, contra 2009, as entidades informaram que houve um crescimento de 10,56% no volume de consultas ao SPC Brasil. "O consumidor chegou ao Natal de 2010 em melhores condições do que as verificadas na mesma data do ano passado", informaram.

Por: Alexandro Martello

veja também