MENU

Inadimplência sobe 10,8%, pressionada pelo desemprego

Inadimplência sobe 10,8%, pressionada pelo desemprego

Atualizado: Sexta-feira, 15 Maio de 2009 as 12

Com menos dinheiro no bolso, os brasileiros estão deixando de pagar suas contas: segundo pesquisa da Serasa Experian, a inadimplência do consumidor pessoa física subiu 10,8% nos primeiros quatro meses deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. Entre meses de abril, a alta ficou em 8,9%.

De acordo com a instituição, o desemprego provocado pela crise financeira é o principal responsável pela alta da inadimplência. "Além disso, o maior endividamento de parte da população, sobretudo no longo prazo e a utilização intensiva do cheque especial e do rotativo do cartão de crédito criam problemas no equilíbrio do orçamento doméstico", diz a entidade em comunicado.

A notícia positiva é que o crescimento da inadimplência perdeu força: a alta dos primeiros quatro meses do ano ficou menor que a do primeiro trimestre, quando foi de 11,4%. O dado é confirmado pela queda da inadimplência em abril na comparação com março, de 9,5%, ainda que influenciado pelo chamado "efeito calendário" - o mês de abril teve dois dias úteis a menos que março.

Tipos e valores das dívidas

Nos quatro primeiros meses de 2009, o ranking da inadimplência das pessoas físicas foi liderado pelas dívidas com os bancos, com 43,5% de participação no indicador. Na segunda colocação do ranking, estão as dívidas com cartões de crédito e financeiras, que no primeiro quadrimestre de 2009 representaram 37,1% da inadimplência dos consumidores.

Nos quatro primeiros meses de 2009, o valor médio das dívidas com cartões de crédito e financeiras foi de R$ 374,91, o que resultou em 13,5% de queda, ante o mesmo período de 2008. Quanto às dívidas com os bancos, o valor médio obtido de janeiro a abril deste ano foi de R$ 1.333,15, com um recuo de 2,4%, na comparação com o primeiro quadrimestre de 2008.

veja também