MENU

Indústria do Rio quer incluir empresas em plano de banda larga

Indústria do Rio quer incluir empresas em plano de banda larga

Atualizado: Terça-feira, 5 Julho de 2011 as 8:26

A Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) vai propor ao governo um "Pacote Empresarial Essencial" para garantir a inclusão das pequenas e médias empresas no Plano Nacional de Banda Larga.

O objetivo é garantir velocidade mínima de 15 mega, em 147 municípios que concentram 51% do total de indústrias do país.

A proposta foi elaborada por um grupo de trabalho formado por representantes de grandes empresas, como Petrobras, L'Oréal, Coca-Cola, Michelin, Shell e Globosat, que integram a Firjan.

O presidente da entidade, Eduardo Eugênio Gouvea Vieira, entrega a proposta, amanhã, ao ministro Paulo Bernardo (Comunicações).

Uma das reivindicações é que o pacote empresarial garanta pelo menos 20% da velocidade contratada, ou seja, o dobro da garantia dada hoje pelas teles nos contratos de serviço de internet (10%).

Na quinta-feira passada, as concessionárias de telefonia fixa assinaram termos de compromisso para adesão ao plano de banda larga do governo federal, em que se comprometem a fornecer internet com velocidade de 1 mega por até R$ 35 mensais.

O acordo não tem metas para atendimento a empresas privadas, nem sobre qualidade do serviço. A presidente Dilma Rousseff cedeu ao argumento das teles de que o percentual de cumprimento da velocidade contratada deverá ser estabelecido depois pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

O acesso à internet em banda larga, diz o presidente da Firjan, é determinante para a competição internacional, e o Brasil "continua no tempo das carroças nesse campo".

EFEITO SOBRE O PIB

Segundo levantamento da entidade, o acréscimo de 1% na penetração da banda larga gera um crescimento de 0,138% no PIB (Produto Interno Bruto) dos países em desenvolvimento.

"A banda larga representa para o século 21 o que a energia elétrica foi para o século 19", diz Gouvea Vieira.

veja também