MENU

Inflação da baixa renda tem alta de 7,45% em 12 meses, diz FGV

Inflação da baixa renda tem alta de 7,45% em 12 meses, diz FGV

Atualizado: Sexta-feira, 7 Outubro de 2011 as 8:56

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), também conhecido como inflação da baixa renda, variou 0,55% em setembro, após ter registrado avanço de 0,33% em agosto , segundo informou, nesta sexta-feira (7), a Fundação Getulio Vargas ( FGV ). Com este resultado, no ano, o indicador acumula alta de 4,30% e, em 12 meses, de 7,45%.

No mesmo período, o Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para o conjunto de famílias com rendimento de até 40 salários mínimos, ficou em 0,50%. A taxa do indicador nos últimos 12 meses ficou em 7,14%, nível abaixo do verificado pelo IPC-C1.

Dos sete grupos de despesa que compõem o IPC-C1, quatro mostraram aceleração de preços: habitação (de 0,43% para 0,89%), alimentação (de 0,52% para 0,58%), vestuário (de -0,66% para 1,22%) e despesas diversas (de 0,11% para 0,16%). Dentro dessas classes de despesa, tiveram maior destaque as variações de preços de gás de bujão (de 0,03% para 1,49%), hortaliças e legumes (de -6,34% para -4,56%), roupas (de -0,52% para 1,47%) e alimento para animais domésticos (de -0,44% para 0,38%).

Na contramão, desaceleraram os preços dos grupos de despesas pessoais (de 0,46% para 0,04%) e educação, leitura e recreação (de 0,01% para 0,00%), com destaque para medicamentos em geral (de 0,02% para -0,17%) e material escolar e livros em geral (de 0,07% para -0,59%).

A taxa do grupo transportes permaneceu sem variação pelo segundo mês consecutivo.      

veja também