MENU

Inflação do aluguel avança para 0,33% na 2ª prévia de agosto, diz FGV

Inflação do aluguel avança para 0,33% na 2ª prévia de agosto, diz FGV

Atualizado: Segunda-feira, 22 Agosto de 2011 as 10:24

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado para reajustar a maioria dos contratos de aluguel, avançou a 0,33% na segunda prévia de agosto, após deflação de 0,21% no mesmo período de julho, aponta nesta segunda-feira (22) a Fundação Getulio Vargas ( FGV ).

A prévia, ou segundo decêndio do mês, compreende o intervalo entre os dias 21 do mês anterior e 10 do mês de referência.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu a 0,08% no segundo decêndio de agosto, sobre queda de 0,11% no mesmo período do mês anterior. Cinco das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram alta, com destaque para alimentação (-0,85% para -0,13%). No grupo, o destaque é para o comportamento das frutas (-4,65% para 2,18%) e laticínios (-0,51% para 0,65%).     Também apresentaram acréscimo nas taxas de variação os grupos habitação (0,26% para 0,35%), despesas diversas (0,04% para 0,10%), transportes (-0,02% para 0,01%) e educação, leitura e recreação (-0,01% para 0,01%). Os itens que mais contribuíram para estes movimentos foram aluguel residencial (0,26% para 0,61%), cerveja (-0,66% para 1,09%), gasolina (-0,73% para -0,08%) e show musical (-2,24% para 1,85%), respectivamente.

Dentro do IPC, maiores contribuições positivas vieram do aluguel residencial (0,26% para 0,61%), limão (2,28% para 36,11%), plano de saúde (0,61% para 0,64%), leite longa vida (&S208;1,45% para 1,27%) e açúcar refinado (&S208;0,07% para 2,73%).

Apresentaram decréscimo nas taxas de variação os grupos vestuário (0,37% para -0,75%) e saúde e cuidados pessoais (0,41% para 0,37%). Nessas classes de despesa, os itens que mais influenciaram foram roupas (0,38% para -0,85%) e produtos médico-odontológicos (0,27% para 0,17%), respectivamente.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu a 0,45%. No mesmo período do mês anterior, foi registrada queda de 0,38%.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) desacelerou para 0,18%, sobre taxa de 0,63% no mesmo período de julho.            

veja também