MENU

IPC-S sobe em 4 das 7 capitais pesquisadas, aponta FGV

IPC-S sobe em 4 das 7 capitais pesquisadas, aponta FGV

Atualizado: Terça-feira, 2 Agosto de 2011 as 9:57

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), que caiu 0,04% na última semana de julho, subiu em quatro das sete capitais pesquisadas no período, divulgou nesta terça-feira (2) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Apesar do recuo na última semana do mês passado, o indicador acelerou ante semana anterior, quando havia recuado 0,11%. O indicador acumula alta de 3,75% no ano e de 6,58% nos últimos 12 meses encerrados em julho.

O indicador caiu em Salvador (de 0,02% para 0%), Brasília (de 0,12% para 0,10%) e em Belo Horizonte (de -0,21% para -0,27%).

As altas foram registradas no Recife (de -0,13% para -0,10%), Rio de Janeiro (-0,24% para -0,10%), Porto Alegre (de -0,01% para 0,17%) e São Paulo (-0,07% para 0,01%).

Em Porto Alegre, onde foi registrada a maior variação positiva no período, seis das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação, com destaque para transportes e vestuário, cujas taxas passaram de -0,66% para -0,05%, e de 0,15% para 0,66%, respectivamente.

O resultado na capital mostra que as pressões acima da variação média foram exercidas pelos grupos vestuário (0,66%), habitação (0,54%), saúde e cuidados pessoais (0,36%) e educação, leitura e recreação (0,22%).

Índice em geral

As principais contribuições para o acréscimo no indicador geral partiram dos grupos alimentação, que passou de queda de 0,88% para recuo 0,67%, e transportes, que foi de alta de 0,14% para avanço de 0,33%. Nessas classes de despesa, destacam-se os itens frutas, que foi de recuo de 4,18% para queda de 1,99%, e gasolina que passou de queda de 0,23% para alta de 0,38%, em igual intervalo.

Também registraram aceleração de preços os grupos vestuário, que foi de alta de 0,38% para avanço de 0,42%, e despesas diversas, que passou de alta de 0,02% para aumento de 0,06%, entre a terceira quadrissemana de julho e a atual leitura.

Para essas classes de despesa, no mesmo intervalo de comparação, foi destaque comportamento dos itens roupas, que passou de alta de 0,13% para aumento de 0,36%, e alimento para animais domésticos, que passou de alta de 1,68% para avanço de 1,79%.

Desaceleração

Em outro sentido, apresentaram desaceleração de preços os grupos educação, leitura e recreação, passando de queda de 0,16% para recuo de 0,23%, saúde e cuidados pessoais, que passou de avanço de 0,35% para aumento de 0,31%, e habitação, que passou de avanço de 0,28% para alta de 0,26% entre a leitura anterior e atual do índice.

veja também